terça-feira, 9
 de 
agosto
 de 
2022

Indústria paranaense tem maior crescimento da região Sul em março

Atividade industrial tem o maior crescimento da Região Sul em março. Foto: Gilson Abreu/AEN
Atividade expandiu 0,6% no período, o dobro da média nacional (0,3%), e é também o melhor índice da Região Sul no comparativo com Santa Catarina e Rio Grande do Sul, que apresentaram retração

A atividade industrial do Paraná apresentou crescimento de 0,6% em março, no comparativo com fevereiro deste ano, conforme dados divulgado nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O montante representa o dobro da média nacional (0,3%) e é considerado também o melhor índice da Região Sul – Santa Catarina (-3,8%) e Rio Grande do Sul (-0,3%) apresentaram retração no período.

Com esse índice, o Estado alcançou crescimento acumulado de 5,8% nos últimos 12 meses, em um comparativo de abril de 2021 a março de 2022, em relação a abril de 2020 e março de 2021, recorte já impactado pela pandemia da Covid-19. Este é o sexto maior aumento em todo o Brasil, atrás apenas de Mato Grosso e Minas Gerais (ambos com 7%), Amazonas (6,4%), Espírito Santo (6,4%) e Rio de Janeiro (6,2%).

O indicador também é superior aos estados vizinhos, no qual o Rio Grande do Sul cresceu 5% e Santa Catarina 3,5% no intervalo de 12 meses, e é maior que o desempenho apresentado pelo principal polo industrial do País – São Paulo com 2,1%.

Em um comparativo com março de 2021, a indústria paranaense apresentou recuo de 2,8%, dentro da tendência nacional, que registrou redução de 2,1%. Sete dos 15 locais pesquisados tiveram taxas negativas.

Os principais impactos positivos nesses 12 meses foram na fabricação de máquinas e equipamentos (36,1%), automóveis, reboques e carrocerias (29,2%), bebidas (14,8%), produtos de madeira (14,4%), produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (5,5%), produtos de minerais não-metálicos (4,9%) e produtos químicos (4,1%). Já em relação ao comparativo mensal, os principais motores foram fabricação de bebidas; de veículos automotores, reboques; e de carrocerias e celulose, papel e produtos de papel.

Status da indústria – Conforme os indicadores do IBGE, a indústria paranaense cresceu 9% em 2021. Atualmente a produção mantém certa estabilidade, mas impactada pelas instabilidades nos insumos e inflação (11,3% até março de 2022), com impacto direto sobre os custos das empresas.

Antes da chegada da pandemia, a atividade crescia a taxas próximas de 5%, com forte influência da expansão produtiva da agroindústria, que, por sua vez, havia sido favorecida por uma safra agrícola recorde na temporada 2019/2020.

Nacional – Conforme o levantamento do IBGE, a produção industrial avançou em nove dos 15 locais pesquisados. Os destaques do mês foram São Paulo (8,4%) e Ceará (3,8%), com as maiores expansões. Mato Grosso (2,8%), Minas Gerais (2,4%), Rio de Janeiro (2,1%), Região Nordeste (1,8%), Paraná (0,6%), Amazonas (0,3%) e Bahia (0,1%) também tiveram índices positivos.

Com informações da AEN

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email