sexta-feira, 25
 de 
junho
 de 
2021

Inaugurado o Erastinho, primeiro hospital oncopediátrico da região sul

Nova estrutura foi construída ao lado do Hospital Erasto Gaertner, em Curitiba. Foto: José Fernando Ogura/AENEm cerimônia realizada na última terça-feira, em Curitiba, o governador Carlos Massa Ratinho Junior participou da inauguração do Erastinho, o primeiro hospital oncopediátrico do Sul do País. Idealizado pelo Hospital Erasto Gaetner, referência no tratamento de câncer no Paraná, a instituição recebeu investimentos de R$ 30 milhões, com mais de R$ 19 milhões destinados pelo governo do Estado.

Em uma área de 4,8 mil metros quadrados, a unidade vai atender exclusivamente crianças e adolescentes com câncer, que hoje fazem tratamento na ala pediátrica do Hospital Erasto Gaertner. Com a nova estrutura, a expectativa é dobrar a capacidade de atendimento oncopediátrico, com foco também no diagnóstico precoce, na promoção e prevenção de saúde. O hospital é filantrópico e atende também pelo SUS.

Governador Ratinho Junior destacou mais este grande investimento para o atendimento na área da Saúde. Foto: Rodrigo Felix Leal/AEN

O governador Ratinho Junior destacou a importância da estrutura hospitalar. “Este hospital é fruto de um trabalho de muitas mãos, com a sociedade e poder público juntos pela concretização do projeto”, afirmou o governador. “Este trabalho em conjunto resultou em uma instalação moderna, um ambiente lúdico que traz um cuidado maior para as crianças e os adolescentes que farão tratamento aqui”, disse.

Segundo Ratinho Junior, o Paraná conta uma grande estrutura hospitalar para a atenção infantojuvenil, com complexos como o Pequeno Príncipe, em Curitiba, o Waldemar Monastier, em Campo Largo, o Hospital da Criança de Ponta Grossa e futuro Hospital da Criança de Maringá, que será um dos maiores do País. “O Erastinho tem um diferencial, porque trata de uma doença muito delicada”, disse o governador. “Entregar à população um hospital que não tem cara de hospital, que foi todo pensado para atender as crianças de forma humanizada, representa a modernização da área médica”, destacou.

Para o superintendente do Hospital Erasto Gaertner, Adriano Lago, desde o lançamento do projeto, em 2015, toda a sociedade e diferentes instituições públicas se mobilizaram para que a unidade saísse do papel. “O número de pessoas que abraçaram esta causa é difícil de mensurar. O poder público e a sociedade civil mobilizaram R$ 30 milhões em um tempo recorde. É uma obra inteira da comunidade”, ressaltou.

O Erastinho – Além de dobrar a capacidade de atendimento oncopediátrico, o Erastinho apresenta um ambiente moderno e humanizado, com acesso a um tratamento especializado e multiprofissional. A nova unidade tem capacidade para fazer até 17 mil consultas, 500 cirurgias e mais de 85 mil procedimentos por ano. O complexo conta com 43 leitos de internamento privativos e semiprivativos, recepção, lobby, atendimento ambulatorial, hospital-dia, centro cirúrgico e alas de internação clínica, cirúrgica, TMO (Transplante de Medula Óssea) e UTI. A transferência dos pacientes para a nova estrutura será feita de maneira gradativa, iniciando nas próximas semanas.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email