quinta-feira, 23
 de 
setembro
 de 
2021

Hábitos saudáveis são essenciais no combate à obesidade infantil

Alimentação saudável é um dos pontos fundamentais para evitar problemas relacionados à obesidade infantil. Foto: Arquivo/O RegionalUm dos principais problemas de saúde envolvendo crianças e adolescentes está relacionado à obesidade. Na última semana, foi celebrado o Dia da Conscientização Contra a Obesidade Mórbida Infantil, com o objetivo de alertar a sociedade para os riscos desta condição e a importância da adoção de hábitos alimentares saudáveis.

Dados obtidos pela reportagem junto à Secretaria de Estado da Saúde apontam que nas dez cidades do suleste paranaense, em 2019, eram 447 crianças entre 0 e 5 anos com obesidade, além de 719 crianças entre 5 a 9 anos na mesma condição. Considerando os adolescentes, 741 estavam em obesidade e outros 1.396 em sobrepeso. Os dados foram retirados do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN), portanto, não correspondem a todas as crianças e adolescentes dos referidos municípios e sim aos indivíduos atendidos nas Unidades de Saúde do SUS, com dados de peso e estatura registrados nos sistemas de informação.

A nutricionista da Secretaria de Saúde de Piên, Drª Patrícia Lemos, pontua as características e diferenças entre sobrepreso e obesidade. “O termo sobrepeso é geralmente usado para indicar o excesso de peso, enquanto obeso ou a obesidade se refere a excesso de gordura. Estar em sobrepeso quer dizer ter mais peso do que é considerado normal ou saudável para a idade ou estatura. Por outro lado, obesidade é a condição de ser obeso, por exemplo, quantidade de gordura em excesso no corpo. Obesidade é uma desordem crônica, causada por uma variedade complexa de fatores”, explica.

Segundo a profissional, alguns sinais devem servir de alerta para a condição. “Alguns pontos devem ser relevantes para a procura de um profissional especialista para combater e até mesmo evitar o sobrepeso e a obesidade. Entre os sinais estão gordura abdominal; perdas das roupas deixando elas mais desconfortáveis apertadas; limitações nos afazeres diários ou até mesmo em atividades físicas, desencadeando falta de ar; dores musculares; palpitações; baixa autoestima, fator que hoje considerado importante; e o distúrbio do sono, são comumente relacionados à obesidade, mas o sobrepeso também pode afetar a noite”, detalha Patrícia, reforçando hábitos que ajudam na prevenção. “As principais mudanças de vida a serem adotadas para prevenir a obesidade são o planejamento familiar, evitar alimentos processados e ultraprocessados, consumir alimentos saudáveis, praticar exercícios físicos, não comer em frente à televisão, ter boas noites de sono, ingestão de água e hidratação”, finaliza.

Na avaliação do secretário estadual de Saúde, Beto Preto, a obesidade é um problema de saúde grave que deve ser tratado com seriedade, principalmente na população infantil, considerando que tratamento requer uma mudança no estilo de vida, além de comportamentos frente à comida de toda a família. “As crianças com obesidade têm grandes chances de se tornar adultos obesos e desenvolver diversas doenças crônicas como hipertensão, diabetes, infarto, entre outras”, diz o secretário. “Devemos priorizar para nossas crianças uma alimentação saudável sempre aliando com a pratica de atividades físicas”, alerta.

Relatório do estado nutricional. Arte: Arquivo/O Regional

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email