terça-feira, 27
 de 
fevereiro
 de 
2024

Governo vai financiar estudo sobre doenças raras e cânceres no Paraná

Acordo entre as três instituições, que integram o Parque Tecnológico da Saúde, e a Sesa aconteceu no 36ª Congresso Estadual de Secretarias Municipais de Saúde. Foto: Tecpar
Projeto de pesquisa inclui a implantação de um Centro de Saúde Pública de Precisão no Tecpar. Objetivo é avançar nos estudos genéticos que podem trazer respostas mais precisas no diagnóstico e tratamento

O Governo do Estado vai financiar um estudo sobre a genética da população acometida por cânceres e doenças raras no Paraná. O projeto de pesquisa será coordenado pelo Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) e desenvolvido em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP). O objetivo é avançar nos estudos genéticos, que podem trazer respostas mais precisas no diagnóstico e tratamento de doenças.

Serão aplicados R$ 408 mil, recursos da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), por meio do Fundo Estadual de Saúde do Paraná (Funsaúde). Esta é a primeira de duas fases de um macroprojeto para implementação de um Centro de Saúde Pública de Precisão no Tecpar.

A assinatura do acordo entre as três instituições, que integram o Parque Tecnológico da Saúde, e a Sesa aconteceu durante o 36ª Congresso Estadual de Secretarias Municipais de Saúde, em Foz do Iguaçu.

“Com o apoio do Governo do Estado, mais uma vez estas instituições, que são referência em saúde pública brasileira, se unem para apresentar novas soluções para o país. Para realizar o estudo, será implantado no Tecpar o Centro de Saúde Pública de Precisão, que irá reunir os especialistas para estudar a genética da população paranaense”, afirma o diretor-presidente do Tecpar, Jorge Callado.

O secretário estadual da Saúde, Beto Preto, ressaltou que o investimento vai modernizar as instalações das empresas integrantes do Parque Tecnológico da Saúde. “Esses recursos são parte de um pacote de investimentos em equipamentos que estão entre os mais modernos no Brasil. O Paraná dá passos largos em investimento em ciência e tecnologia no âmbito da saúde”, salientou.

Centro – Tecpar, Fiocruz e IBMP iniciaram as tratativas para a implantação do Centro de Saúde Pública de Precisão em 2021, visando o fornecimento de novas soluções ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Agora, com o acordo e o financiamento firmados, especialistas das três instituições começam os estudos da população com doenças raras e diversos tipos de câncer, por meio de sequenciamento genético de nova geração e pesquisa genômica. Para isso será utilizada a tecnologia de sequenciamento de DNA do tipo Next Generation Sequencing (NGS), além de outros testes moleculares adicionais que possam contribuir para o diagnóstico de precisão em saúde ofertado à população.

“A implantação deste Centro de Saúde Pública de Precisão significa um serviço tecnológico de ponta, baseado na genômica, a serviço do SUS e também contribuindo para importantes pesquisas no diagnóstico e tratamentos personalizados para doenças raras e vários tipos de câncer”, destacou o diretor-presidente do IBMP, Pedro Ribeiro Barbosa.

A estratégia, explicou, é atuar no presente, olhando para o futuro. “Investindo em soluções para saúde, contribuímos positivamente para a vida das pessoas, para o SUS e para a pesquisa aplicada”, disse.

Doenças raras – O Paraná já conta com um cadastro chamado de Síndrome de Doenças Raras (Sidora), criado pela Sesa em parceria com a Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional (Fepe). Por meio do cadastro é possível mapear essas doenças e obter informações que possam subsidiar políticas públicas e ações de atenção e cuidados, de acordo com as necessidades dessa população.

Em 2021, o Sidora contava com 475 pacientes e 184 doenças raras cadastradas, em 158 municípios do Estado.

Compras descentralizadas – No início deste mês, o Tecpar e o IBMP firmaram outra parceria, para fornecer produtos a estados e municípios que tenham interesse em fazer compras descentralizadas do Sistema Único de Saúde (SUS). A iniciativa pode agilizar a aquisição de itens para abastecer hospitais e unidades de saúde, por exemplo.

O acordo prevê o licenciamento de todos os produtos do IBMP ao Tecpar. Por ser uma empresa pública, o Tecpar poderá ofertá-los ao SUS por meio de compras descentralizadas pelas secretarias estaduais e municipais, começando pelo Estado do Paraná.

Hoje, estados e municípios recebem insumos do Ministério da Saúde para a demanda de suas localidades. No entanto, secretarias estaduais e municipais podem realizar aquisições para atender demandas específicas da sua população.

Fonte: AEN

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email