quarta-feira, 17
 de 
agosto
 de 
2022

Gestão do Parque do Monge pode ir para a iniciativa privada

Tido como um dos principais pontos turísticos do estado, o Parque do Monge, localizado na Lapa, poderá ter sua
gestão turística repassada para a iniciativa privada. O governo do Paraná analisa esta possibilidade também para outras três unidades estaduais de conservação – em Paranaguá, Tibagi e Ponta Grossa. Um estudo de viabilidade econômica vem sendo feito pelo instituto Semeia, de São Paulo. O resultado deve ser anunciadoConstruções em meio ao parque ajudam a embelezar o local/Foto: O Regional no fim do ano.
Para a Lapa, o Parque do Monge tem grande importância econômica. Porém, o local ficou fechado por um longo tempo para uma revitalização pelo governo estadual, trabalho este que ainda não está completo. Apesar disto, o local já voltou a receber visitantes. Segundo números do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), no ano passado o parque recebeu 38 mil pessoas.
A prefeita Leila Klenk declara que o parque é de uma riqueza imensurável para a Lapa e para todo o estado. “Não há como recuperar o prejuízo destes mais de oito anos fechado”, lamenta. Ela comenta ainda que a empresa que executa os trabalhos atualmente já é a segunda contratada pelo governo para a obra e o contrato foi mais uma vez prorrogado, agora para dezembro. Outra preocupação da prefeita é a notícia de que a empresa está sob suspeita.
Leila revela ainda que há cerca de um mês e meio a prefeitura foi procurada por equipe do IAP para que desse apoio ao funcionamento do parque, como com equipe de limpeza e gestor. “Agora surge essa notícia de uma possível cessão à iniciativa privada. Antes de emitir qualquer opinião, vamos aguardar qual será o modelo dessa nova forma de gestão do local. O que queremos apenas é o melhor para o parque a para a Lapa”, enfatiza.
A empresária Vera Lucia Silva Szczpanski mora há 30 anos no bairro Monge e possui um supermercado nas proximidades do parque. Ela acredita que uma possível privatização será boa para o parque e para os turistas, pois opina que ainda falta o que oferecer às pessoas. “Com a iniciativa privada haverá investimentos, com melhoria e conforto aos visitantes”, diz. Ela cita que as etapas de revitalização realizadas até então deixaram o parque mais bonito. Enfatiza que o movimento nas redondezas caiu quando o parque fechou, mas que os turistas voltaram quando reabriu para ver como ficou.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email