sexta-feira, 22
 de 
outubro
 de 
2021

Gestão do lixo ainda precisa de melhorias em alguns municípios da Amsulep

Coleta de lixo/Foto:ArquivoUm dos grandes problemas enfrentados pelo poder público na atualidade é a gestão dos resíduos sólidos. Com o crescente aumento da quantidade de lixo gerada, a dificuldade está em conseguir locais para seu depósito, principalmente se levada em consideração que há uma série de regras ambientais a serem cumpridas.

Entre as cidades pesquisadas na região, em todas elas há coleta seletiva. A maior parte destina o lixo orgânico para aterro em Fazenda Rio Grande. Apenas a Lapa possui aterro próprio, com legalização do IAP.

Quanto à coleta, a grande maioria das prefeituras terceiriza o serviço, principalmente em relação aos resíduos comuns. Apenas em Contenda, segundo o diretor do Departamento de Agricultura, Antonio Lech, o poder público tem caminhão próprio para recolher o lixo comum, o mesmo acontecendo quanto aos resíduos recicláveis. No caso de Mandirituba, conta o secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Marcos Antonio Dalla Costa, a prefeitura tem um caminhão para o recolhimento de recicláveis no interior; no centro o serviço é terceirizado.

Mandirituba, Lapa, Quitandinha, Piên e Agudos do Sul disponibilizam também grandes caixas em pontos estratégicos onde os moradores podem depositar lixo. Nas demais cidades há apenas lixeiras pequenas em algumas ruas e praças.

Em Tijucas do Sul, Mandirituba, Lapa, Quitandinha, Campo do Tenente e Contenda, os materiais recicláveis vão para associações ou cooperativas de reciclagem. Em Agudos do Sul, há uma empresa local de reciclagem, que, inclusive, é quem faz informalmente a coleta do material. Em Piên vem sendo viabilizada a criação de uma nova associação.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email