segunda-feira, 18
 de 
outubro
 de 
2021

Estudo aponta R$ 14 milhões de dívidas da prefeitura de Mandirituba

Luís Antônio confia em um trabalho a longo prazo para recuperar a credibilidade e saúde financeira da prefeitura. Foto: Assessoria de Imprensa/Prefeitura de MandiritubaCom o município sufocado em dívidas, o prefeito de Mandirituba, Luís Antônio Biscaia, nomeou já nas primeiras semanas de mandato uma comissão responsável para apurar a real situação financeira da prefeitura. Nesta semana, foi divulgado o balanço deste trabalho, que apurou cerca de R$ 14 milhões de dívidas.

De acordo com o prefeito, a maior parte deste montante é referente aos fornecedores, quase R$ 7,5 milhões. “Averiguamos que de 2009 a 2017, a dívida com os fornecedores passou de R$ 275 mil para R$ 7.458.707,71, sendo que a receita neste período avançou de R$ 24.941.536,43 para R$ 57.853.567,55. É inadmissível tamanha irresponsabilidade, tanto que várias empresas não têm mais interesse em vender seus produtos à prefeitura porque não sabem se irão receber”, relatou Luís Antônio, salientando que a prefeitura está analisando caso a caso e renegociando.

Outra dívida herdada é com o Instituto de Previdência dos Servidores Públicos (MandPrev), que totaliza R$ 4,1 milhões. “Deste valor, R$ 2.208.084,90 tem que ser pago à vista, já que este montante foi parcelado em três oportunidades e foi não cumprido o combinado”, explicou o prefeito. O município possui também pendências com a Sanepar, Copel, consórcio do lixo, Detran, entre outros. “Somente com a Copel são parcelamentos que ultrapassam a casa de R$ 2 milhões, estes também com parcelas atrasadas”, informou.

Além das dívidas, a atual administração teve outras dificuldades no início do mandato. “Não tínhamos medicamentos, nem mesmo exames médicos poderiam ser feitos. Os maquinários sucateados, sem peças para manutenção. Outro fato negativo foi a folha salarial, que teve um acréscimo enorme com a contratação de mais de 240 servidores concursados nos últimos meses do ano passado”, ponderou o prefeito.

Visando a redução de custos, a prefeitura vem qualificando o sistema de licitação. “No ano passado foram realizadas 128 licitações, sendo que houve muita compra direta e isso onera os cofres públicos. Agora, tudo o que está sendo adquirido passa por este processo e em 72 licitações efetivadas neste ano já economizamos R$ 3,2 milhões se comparando o preço estipulado com o valor licitado”, ressalta o prefeito.

Mesmo com a grave situação financeira, Luís Antônio crê em um trabalho a longo prazo para regularização das dívidas. “Não imaginávamos um rombo tão significativo, mas vamos dar a volta por cima. Precisamos voltar a ter credibilidade e ser responsáveis com uso do dinheiro público. Mesmo com todas as dificuldades estamos realizando melhorias, nosso próximo passo é obter a certidão negativa e assim garantir a efetivação de recursos já acertados”, concluiu.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email