terça-feira, 30
 de 
novembro
 de 
2021

Estado vai modernizar estrada que integra Mandirituba e São José dos Pinhais

Reunião om a COMEC e SEDU sobre ligação metropolitana São José dos Pinhais/Mandirituba Foto: José Fernando Ogura/AEN

A ligação entre os municípios de São José dos Pinhais e Mandirituba, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), ficará mais curta e rápida. O Governo do Estado vai estruturar uma nova estrada de 26,7 quilômetros, a partir do traçado de uma de chão já existente, que vai integrar as duas cidades e também facilitar o acesso dos outros municípios mais ao Sul da RMC à Capital e ao litoral paranaense e catarinense.

A ordem de serviço para dar início à elaboração do projeto executivo da obra foi assinada nesta terça-feira (29), no Palácio Iguaçu, pelo governador em exercício Darci Piana; o secretário estadual do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, João Carlos Ortega; o diretor-presidente da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), Gilson Santos; e os prefeitos de Mandirituba, Luis Antonio Biscaia, e de São José dos Pinhais, Nina Singer.

“É uma obra que vai encurtar distância, permitir novos investimentos, porque quando se tem uma estrada boa, as indústrias passam a se interessar por esses locais, e também a saída de produtos agrícolas dos dois municípios”, destacou Darci Piana. “Além disso, há também a questão turística. São José dos Pinhais já tem grande potencial, Mandirituba está organizando esse setor. Vai ser estratégica para o Estado e importante para a população, que vai economizar tempo e distância”.

O trecho que será pavimentado parte do trevo da empresa Volkswagen-Audi, na BR-376, em São José dos Pinhais, até a Rua Gilberto Palu, em Mandirituba, na ligação com a BR-116. A estrada passa pela Colônia Marcelino, local de grande potencial para o turismo rural e religioso, e também cria uma via alternativa para os municípios de Quintandinha, Agudos do Sul, Piên, Campo do Tenente e Rio Negro, localizado no chamado segundo anel da RMC.

“A intenção do governo é promover uma nova conexão na Região Metropolitana e não atende apenas os dois municípios, como também aqueles do Sul da RMC”, explicou Gilson Santos. “Hoje eles têm apenas uma opção, pela BR-116, que é pedagiada. Com essa via metropolitana, vamos ganhar uma nova conexão com São José dos Pinhais e com a BR-376, que faz a ligação com o Litoral do Paraná e de Santa Catarina”.

INTEGRAÇÃO – Assim que o projeto executivo for concluído, a intenção do governo é iniciar os trâmites para contratação da obra logo na sequência. “Estamos nos organizando para que todo o processo seja bastante rápido. Essa região tem um importante potencial de desenvolvimento e pode muito bem conciliar diversas atividades na promoção do emprego e renda”, destacou o secretário Ortega.

A obra terá um impacto direto no escoamento da produção da agricultura familiar e no fomento do turismo rural. Mandirituba é o maior produtor de camomila da América Latina, e ambos os municípios estão entre os principais produtores de hortifrutigranjeiros na região.

“Vai ser uma via alternativa ao pedágio, que fica na porta de Mandirituba, e vai facilitar para as pessoas que se deslocam para Curitiba e São José dos Pinhais e para quem quer ir ao Aeroporto, ao porto e às praias”, explicou o prefeito de Mandirituba. “É um fato histórico para o município, que sempre dependeu da rodovia, mas ficou muito tempo fechado para a atração de indústrias, além de ser mais um incentivo para a agricultura”.

Já a Colônia Marcelino, em São José dos Pinhais, é um destino do turismo religioso. O local abriga a Igreja da Santíssima Trindade, construída com arquitetura típica dos templos ucranianos e que está entre as maiores construções do estilo no Estado do Paraná.

Além disso, destaca a prefeita de São José dos Pinhais, também haverá a conexão ao polo industrial do município. “Temos, na região, grandes polos industriais e queremos atrair mais empresas. Mas a estrada também vai facilitar o desenvolvimento do turismo rural e religioso em nosso município”, disse Nina Singer. “Há também uma grande produção rural, de soja, hortifruti, que será escoada por essa via”.

PROJETO – O edital de licitação (Concorrência 05/2020/COMEC) foi lançado pela Comec e contou com quatro participantes. A empresa vencedora foi a Azimute Engenheiros Consultores LTDA., que terá o prazo contratual de 180 dias corridos para entregar o projeto, contados a partir da assinatura da Ordem de Serviço.

O projeto executivo vai definir o valor total do investimento e o tempo para a execução da obra. A estimativa da Comec, porém, é que o empreendimento chegue a aproximadamente R$ 50 milhões, que devem ser custeados pelo Governo do Estado. O projeto, em si, foi contratado por cerca de R$ 600 mil, valor 25% inferior ao previsto no edital de licitação, uma economia de R$ 196,8 mil aos cofres públicos.

PRESENÇAS – Participaram da solenidade o chefe de Gabinete da Governadoria, Daniel Villas Bôas; e os deputados estaduais Francisco Bührer, Márcio Pacheco e Alexandre Amaro.

Via Agência Estadual de Notícias

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email