sexta-feira, 19
 de 
agosto
 de 
2022

Em qual esquina estamos perdendo a humanidade?

O crime praticado por quatro jovens com idade entre 19 e 25 anos no município de Mandirituba no último fim de semana nos mostra que a barbárie, a guerra e a pior forma de violência contra a integridade física, psíquica e moral de uma pessoa também acontecem debaixo dos nossos olhos. Também é realidade ao nosso redor. A violência contra o casal de haitianos que ganhou as páginas dos noticiários tem reflexos diversos, duros, tristes e importantes para uma sociedade cada vez mais degradada e em busca de respostas para o seu futuro.

Alguém imaginária que numa região igual a que vivemos, de pessoas ordeiras e íntegras, humildes e trabalhadoras, vivenciaríamos um crime dessa natureza? Praticado justamente por quatro jovens que poderiam fazer tantas outras escolhas para suas vidas e contra um casal que expõe toda fragilidade resultada de um destino que lhes impôs uma realidade de pura sobrevivência.

Sim, isso aconteceu. Quatro jovens entram numa casa, agridem e amarram o esposo imigrante e depois violentam coletivamente sua esposa. Um casal indefeso, somente com sonhos, e um bebê com um mês a caminho. Triste, revoltante, inaceitável.

O fato de estarem todos detidos e aguardando determinação de prisão pela Justiça poderia até minimizar esses sentimentos expressados. Mas em casos assim, há uma sensação que só a prisão não basta. Até porque, maioria dos indivíduos já tinha passagem pela polícia.

Podemos nos questionar sobre como adolescentes e jovens, com toda uma vida pela frente, mergulham na criminalidade e perdem total sentido dos seus atos e crimes? Também nos perguntamos porque são presos e soltos com tanta facilidade? Qual a punição justa para um crime como este em questão? E existe ressocialização para indivíduos com esse tamanho de brutalidade? São questões como essas que cada vez mais estão tomando espaço em nossas vidas e mostrando que em determinado momento parcela da sociedade, independente de suas condições sociais ou origens, está perdendo sua humanidade.

É impensável que qualquer cidadão com o mínimo de sentido ou sentimento pela vida possa praticar atos como este que estamos tratando. De fato, há de se imaginar que indivíduos assim perderam o que tinham de humano para viver de uma postura irracional.

No entanto, é necessário e fundamental que existam respostas práticas para resgatar o interesse pela vida e pelo próximo. Além da Justiça, que deve agir com todo o rigor na punição dos criminosos, a sociedade de bem deve mostrar que pode se sobressair sobre o mal. O casal de imigrantes, tão castigado pela vida que tinham em seu país e pelo curso realizado até chegar aqui, está agora ainda mais fragilizado. Talvez tenham até perdido o sentido de viver. O que é possível fazer por eles? E a nossa humanidade, também tem ficado pelas esquinas?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email