sábado, 25
 de 
setembro
 de 
2021

Em meio à pandemia, Secretarias de Saúde oferecem suporte psicológico

Psicólogo Leonardo Teixeira tem prestado atendimento em Agudos do Sul. Foto: DivulgaçãoEm um momento de angústia e imprevisibilidade causado pela pandemia do coronavírus, os municípios da região têm demonstrado preocupação com o estado emocional dos moradores. Para isso, além de toda a orientação para os cuidados com saúde física, as secretarias de Saúde estão disponibilizando todo o suporte psicológico à população.

Agudos do Sul é uma das cidades onde a Secretaria Municipal de Saúde implantou uma política pública de saúde mental neste período de isolamento. São dois psicólogos à disposição para atender a população por vídeo chamada ou ligação telefônica. Os contatos podem ser feitos pelo telefone 99287 6979, com o psicólogo Leonardo Teixeira, e pelo 3624 1311, com a psicóloga Ediani Peres.

Segundo Teixeira, não se trata de psicoterapia, mas de atendimento psicológico e escuta terapêutica para essa situação de pandemia. “Nesse momento é normal que as pessoas tenham sentimento de medo e de pânico, devido ao grande número de informações da mídia. Podem vir também angústia e ansiedade pelo fato das pessoas ficarem em casa e de tudo que está acontecendo”, explica.

Em Piên, a Secretaria Municipal de Saúde também está fornecendo apoio emocional, por meio das profissionais de psicologia do município. As psicólogas à disposição dos moradores atendem de forma remota, pelo telefone (41) 3632-1291 ramal 310, ou pelos e-mails pisi.saude@gmail.com; crtpereira@yahoo.com.br e tatianeak@yahoo.com.br, de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 horas e das 13 às 17 horas. A psicóloga Jéssica Tchoeke, também se coloca à disposição, como voluntária, sem vínculo com a equipe de Saúde Mental da prefeitura de Piên, para também prestar apoio e suporte no e-mail jessicatchoeke@gmail.com.

Para o secretário de Saúde de Piên, Jair Batista, a situação exige uma atenção especial e ações que auxiliem a população a enfrentar esse momento. “A saúde pública vai muito além de cuidar da dor física. Inclui, entre tantas coisas, o cuidado com a saúde mental das pessoas, que neste momento são bombardeadas com informações, muitas vezes falsas, e isso pode desencadear situações de ansiedade, crises de pânico, tristeza, medo e outros sentimentos que geram desconforto”, afirma Batista, enaltecendo os prejuízos relacionados às notícias falsas. “No caso de Fake News em período de estado de emergência pública em saúde, a situação é ainda mais grave”, detalha.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email