segunda-feira, 15
 de 
abril
 de 
2024

Em estado de crise

Nesta semana, a nova prisão do ex-ministro José Dirceu tomou conta do noticiário nacional e, por consequência, o Partido dos Trabalhadores (PT) ficou ainda mais acuado. Em Brasília, já são muitas as apostas de que o presidente da câmara dos deputados, Eduardo Cunha, não medirá esforços para avançar com o processo de pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff. E, neste meio tempo, as manifestações previstas para o próximo dia 16 podem ser um novo incentivo para que os parlamentares decidam pela instalação do processo.
O PT vive um momento de intensa crise, total descrença e até mesmo um certo ódio de determinados setores e cidadãos. Para completar a situação, o partido não consegue se afastar dos escândalos de corrupção, e pior, a cada dia surgem fatos que envolvem ainda mais a sigla e seus líderes nos crimes julgados pela Polícia Federal.
Até o próximo mês de outubro, ou seja, daqui poucas semanas, todos os interessados em participar da eleição de 2016 deverão estar regularmente filiados. Mesmo sem a “janela para mudança de sigla” o PT vai sofrer uma considerável evasão de filiados. É sabido que nem todos os frutos do cesto são ruins, porém, pra muitos que olham de fora não há diferença.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email