sexta-feira, 1
 de 
julho
 de 
2022

Em 2014, prefeituras investiram mais de R$ 130 milhões em saúde na região

Na cidade da Lapa, prefeitura investe mais de R$ 18 milhões na área da saúde/Foto: Arquivo / O RegionalA área da saúde é a mais sensível e que merece extrema atenção dos poderes públicos. Por lei, as prefeituras são obrigadas a investir 15% da sua receita em investimentos, serviços, insumos e equipamentos neste setor. No entanto, devido à grande demanda, as prefeituras vão muito além do que é determinado na constituição.
Nos dez municípios da região, o valor destinado pelas prefeituras em 2014 para a área da saúde totalizou R$ 130 milhões. Já para este ano, estão previstos cerca de R$ 133 milhões para este setor.
Como é um dos municípios que menos arrecada, Agudos do Sul faz um amplo esforço para cumprir com os investimentos e ampliar serviços. “Realizamos mensalmente cerca de mil atendimentos nas unidades, além de outros mil no Programa Saúde da Família”, conta a secretária de saúde, Viviane Christiny de Andrade, citando outras demandas do setor, como a implantação de raio-X, reabertura dos minis-postos, e a descentralização do atendimento.
A prefeitura de Tijucas do Sul é uma das que têm as maiores porcentagens de investimento na área. “Temos uma demanda grande. Somente no hospital, investimos mensalmente cerca de R$ 200 mil mensais para a manutenção do atendimento”, relatou a secretária municipal de Saúde, Lorena Claudino da Costa. Segundo ela, o principal objetivo é o trabalho de promoção da saúde, com a presença das equipes nas comunidades com atendimento domiciliar.
Para municípios do interior, a atenção básica na área da saúde e a oferta de novos serviços são grandes desafios e diariamente muitas dificuldades são encontradas. A contratação de médicos, por exemplo, é uma preocupação constante, já que muitos profissionais preferem grandes centros. Os municípios também não conseguem oferecer atendimento de média e alta complexidade e vivem o drama diário de colocação de seus pacientes na central de vagas dos grandes hospitais da região de Curitiba.
As prefeituras sentem ainda com a queda e atrasos dos repasses dos governos estadual e federal. Mesmo com todo esse quadro, há um cenário de superação. Em Mandirituba, por exemplo, estão estimados R$ 9.181.761,42 para este ano, no entanto, até então já foram aplicados R$ 11.155.653,79 na área da saúde.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email