quarta-feira, 1
 de 
dezembro
 de 
2021

Dia Mundial da Alimentação alerta para necessidade de hábitos saudáveis

Nutricionista Luana Apolinário faz um alerta para a ingestão excessiva de calorias. Foto: Divulgação
Além dos benefícios para a saúde, a ingestão de alimentos naturais como frutas, verduras e legumes estimulam a sustentabilidade

O Dia Mundial da Alimentação é lembrado no dia 16 de outubro e foi criado no ano de 1981, com objetivo de conscientizar as pessoas sobre a importância da escolha de alimentos mais saudáveis. Neste ano, a Organização das Nações Unidas definiu que devem entrar em discussão pautas sobre os benefícios da ingestão de frutas e verduras.

O Ministério da Saúde divulgou uma pesquisa que mostra que quase metade da população brasileira está acima do peso. Segundo o levantamento, 42,7% da população estava acima do peso no ano de 2006. Em 2011, esse número passou para 48,5%.

O sobrepeso é maior entre os homens, segundo o estudo. 52,6% deles está acima do peso ideal. Entre as mulheres, esse valor é de 44,7%. A pesquisa aponta que o excesso de peso nos homens começa na juventude. Com idade entre 18 a 24 anos, 29,4% já estão acima do peso; entre 25 e 34 anos são 55%; e entre 34 e 65 anos esse número sobe para 63%.

Já entre as mulheres, 25,4% apresentam sobrepeso entre 18 e 24 anos; 39,9% entre 25 e 34 anos; e, entre 45 e 54 anos, o valor mais que dobra, se comparando com a juventude, passando para 55,9%.

Segundo a nutricionista Luana Apolinário, de Fazenda Rio Grande, a obesidade é um distúrbio que envolve excesso de gordura corporal, aumentando o risco de problemas de saúde. “Geralmente, a obesidade é resultado de uma ingestão excessiva de calorias, porém vale ressaltar que essa doença pode ter outros fatores como, fatores familiares, neste caso na infância, fatores emocionais que pode também iniciar na infância ou ao longo da vida. Pessoas que são geneticamente predispostas, nestes casos os maus hábitos podem acelerar esse ganho de gordura corporal e disfunções endócrinas”, comenta a profissional.

A nutricionista alerta para o consumo excessivo de alimentos industrializados para crianças. “Fatores familiares na infância, seria a forma e qual tipo de alimento os pais oferecem nos primeiros anos de vida dos seus filhos. Sabemos que os alimentos industrializados além de conter pouco ou nada de nutrientes ainda tem um valor calórico elevado, e por ser de paladar facilmente aceitável pelos pequenos a ingestão ainda pode ser excessiva fazendo com essa criança desenvolva a obesidade”, aborda Luana.

A profissional reforça que o sedentarismo e a falta de atividade física facilita o aumento de gordura corporal, que acarreta no surgimento de doenças. “O sintoma principal da obesidade é o excesso de gordura corporal, o que aumenta o risco de problemas de saúde graves. A base do tratamento são mudanças no estilo de vida, como dieta, exercícios e terapia”, alerta.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email