sábado, 20
 de 
julho
 de 
2024

Calendário de Caminhadas na Natureza impulsiona o turismo regional

Caminhadas atraem visitantes aos municípios locais e fortalecem o turismo. Foto: Arquivo/O Regional
Caminhadas atraem visitantes aos municípios locais. Foto: Arquivo/O Regional
Para este ano, cerca de 20 eventos estão previstos para o suleste paranaense, explorando as belezas naturais e atrativos turísticos das cidades

Foi dada a largada em mais um calendário de Caminhadas na Natureza em todo o Estado. Neste ano, são mais de 100 percursos previstos, contemplando diversas cidades paranaenses, e que devem atrair expressivo número de adeptos, explorando as belezas naturais do Paraná.

E a região também está representada neste calendário. Entre fevereiro e dezembro deve acontecer cerca de 20 eventos, a maior parte deles no município de Mandirituba, considerado um dos lugares mais procurados pelos caminhantes.

O diretor municipal de Turismo de Mandirituba, Irivan Ferreira, enaltece que a cidade aparece entre as melhores avaliadas em ranking elaborado pelo Ecobooking, o que enaltece a representatividade mandiritubense nos eventos. “Em 2023, em caminhadas acima de mil pessoas, que é mais complexa, temos a melhor avaliação. No ano passado em Mandirituba, participaram mais de 8 mil caminhantes nos cinco circuitos realizados”, conta.

Ferreira destaca que entre os diferenciais de Mandirituba na atração de caminhantes é a proximidade com Curitiba e a organização dos eventos. “O engajamento da comunidade e do poder público fez com que se formassem equipes bastante qualificadas no acolhimento, na alimentação que remetem às origens da área rural. Além disso, temos a questão dos circuitos e temos o cuidado de fazer os percursos, quase sempre acima de 60%, em trilhas, que é o que o pessoal gosta, e tem ainda a Feira Manduri, que atrai os visitantes e fortalece economicamente as comunidades, os agricultores, as associações e o comércio local”, detalha o diretor, falando sobre a atuação das equipes da prefeitura nos eventos. “O poder público se envolve bastante, com a presença do prefeito em todas as caminhadas e, após os circuitos, são feitas reuniões de avaliação. O município tem também uma parceria com o Sebrae, que fortaleceu o turismo rural”, complementa.

A coordenadora estadual do Programa de Turismo Rural do IDR-Paraná, Terezinha Busanello Freire, afirma que as primeiras impressões de eventos já realizado neste ano são bastante positivas. “Um número expressivo de caminhantes, com circuitos que tiveram cerca de 2 mil participações e isso demonstra, até pelo número de inscritos das caminhadas de março, sentimos uma procura grande neste início de ano. Sentimos um 2024 diferente, com bastante animação dos caminhantes, mudanças que temos feito para melhorar a qualidade dos serviços ofertados, e estamos bem otimistas”, conta.

Terezinha ressalta que o IDR, junto com os gestores regionais e municipais, está em constante contato para qualificar o produto que é entregue aos caminhantes. “Buscamos acertar mais algumas questões que às vezes são pontos negativos que os participantes avaliam. Então, como podemos melhorar esses serviços para atrair cada vez mais caminhantes e para estimular ele a consumir mais os produtos da agricultura familiar, que é um dos fatores que estamos realçando na metodologia”, explica.

Segundo Terezinha, o pós-pandemia também tem uma contribuição para os resultados que vêm sendo alcançados pelas caminhadas. “O que veio na pandemia, com a procura que foi durante esse período, mostrou locais e paisagens maravilhosas do nosso Paraná, e isso se consolidou e não se perdeu no pós-pandemia. Pelo contrário, desbravou um cenário que antes estava escondido e quase não aparecia nem para os paranaenses nem para o pessoal de fora. O cenário pandêmico trouxe esse desafio e o Estado soube aproveitar isso, no sentido de promover os atrativos turísticos, roteiros e o que temos de bacana”, aponta.

Por fim, a coordenadora ressalta que as Caminhadas na Natureza sempre foram consideradas como ferramentas de desenvolvimento. “Ela [caminhada] é tratada como uma espécie de política pública dentro da Secretaria de Estado da Agricultura, sob a coordenação do IDR, com o programa de Turismo Rural, e o governo disponibiliza técnicos que façam uma atuação e se envolvam em propostas para difundir essa metodologia e propor alternativas e diversificação de renda para os agricultores familiares. Entendemos que isso leva pessoas para o meio rural, muitas vezes motivadas pelas caminhadas e pela natureza e que depois retornam para diversos atrativos que elas conhecem nos circuitos”, diz Terezinha, falando do engajamento dos órgãos estaduais e municipais no fomento do turismo local por meio das Caminhadas. “Nesse apoio institucional acreditamos que vai consolidar muito mais essa ferramenta nos próximos anos para tornar ainda mais forte e rentável e atrair um público também de outros estados para caminharem e pedalarem [no cicloturismo] aqui no Paraná”, conclui.



Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email