quinta-feira, 17
 de 
junho
 de 
2021

Caçadores de ambientalistas

Volta e meia leio algumas revistas e jornais aonde opiniões até mesmo agressivas são publicadas fazendo referência aos cidadãos que atuam na sociedade como ambientalistas. Nutro um sentimento de preocupação com este tipo de cidadão haja vista a falta de informação que o mesmo deve ter juntamente com a falta de compreensão sobre a questão ambiental.

Alguém que se diz ambientalista defende que a água que bebamos seja potável. Isso garante a saúde da população. Muitas doenças possuem ligação direta com a qualidade da água. Não existe água potável sem floresta. Árvore em pé é sinônimo de manancial preservado. Quem defende floresta no chão corre o risco de não ter água limpa para beber em um futuro próximo.

Alguém que se diz ambientalista defende que as áreas de risco não sejam ocupadas por moradias. Beira de rio, mangue e encosta de morro são áreas de risco. Mesmo que desconsiderássemos o caráter ambiental, a vida das pessoas está ameaçada. Não podemos imaginar que alguém que possua sanidade mental possa defender a regularização de ocupações em áreas de risco.

Alguém que se diz ambientalista defende que o transporte coletivo seja priorizado e que os ciclistas tenham segurança no trânsito. As cidades já estão colapsando as suas vias com a imensa quantidade de veículos e a má gestão do transporte público contribui para isso. Os governos devem bancar subsídios que possam incentivar a utilização de ônibus seguros e confortáveis. Modais como metrô e veículos sobre trilhos tornaram-se imprescindíveis para as grandes cidades. Ciclo faixas, ciclo rotas e ciclovias não são mais utilizadas apenas para lazer, mas sim para trabalho.

Alguém que se diz caçador de ambientalista defende que as florestas devem estar no chão, que animal deve estar no zoológico e que aquecimento global é lenda. Logo estes não terão água potável a preços acessíveis, estarão confinados por horas diárias em seus automóveis, respirarão poluição e sentirão falta da floresta para dar sombra, alimento e oxigênio.

Por: Raphael Rolim de Moura – Biólogo, Especialista em Gestão e Planejamento Ambiental, Mestre em Meio Ambiente e Desenvolvimento. Professor universitário e atualmente ocupa Diretoria na Comec

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email