quarta-feira, 17
 de 
agosto
 de 
2022

BR 116: Mandirituba reivindica obras complementares da duplicação

Onildo cobrou obras de grande relevância à população. Foto: Assessoria de Imprensa/Prefeitura de MandiritubaAs obras de duplicação da BR 116 no trecho entre Fazenda Rio Grande e Mandirituba, que beneficiarão em muito a região, estão próximas de sua conclusão. Com isso, a preocupação dos moradores, principalmente de Mandirituba, é quanto a trabalhos complementares.
Na última semana, o deputado federal Toninho Wandscheer apresentou pedido no Ministério dos Transportes solicitando informações sobre a implantação de um trevo em desnível – viaduto – no trevo de Mandirituba. Segundo o deputado, o referido elevado está previsto no Programa de Execução da Rodovia (PER). Ele requereu informações sobre previsão de início e término da obra.
Já nesta semana, o prefeito Onildo Gelatti esteve em Brasília em reunião com representantes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e com o diretor superintendente da concessionária que administra o trecho e que está realizando a duplicação, a Autopista Planalto Sul, Cesar Sass. Na ocasião, segundo a concessionária, foi tratado um conjunto de obras complementares para Mandirituba, como ruas laterais e retorno em nível.
O prefeito salienta que as vias marginais serão nos dois sentidos, ligando o acesso principal da cidade até a área industrial, totalizando oito quilômetros, com as obras começando nos próximos dias. “Ainda será construído um contorno em nível para o acesso a Cidade Industrial de Mandirituba (Cimam)”, reforça.
Segundo a prefeitura, Gelatti também garantiu na conversa com representantes da ANTT a construção do elevado para o acesso principal da cidade, visando mais segurança aos motoristas. A conversa foi intermediada pelo deputado João Arruda e acompanhada também pelo presidente da câmara municipal, Silvio Galvan.
A Autopista confirma que a obra do trevo em desnível consta no contrato de concessão. Porém, segundo a concessionária, a prefeitura entende que as outras obras complementares são prioritárias.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email