sábado, 21
 de 
maio
 de 
2022

As Velhas Árvores

Um dos principais poetas brasileiros foi Olavo Bilac. Membro fundador da Academia Brasileira de Letras e responsável pela criação do Hino à Bandeira em sua produção literária abordou com maestria a natureza. Nesta coluna trago a poesia intitulada “As Velhas Árvores”. Nela, na qualidade de gestor ambiental, vejo que cada vez se faz mais importante a realização dos Planos Municipais de Arborização Urbana. Nestes planos tratamos da gestão, implantação, plantio, manutenção e monitoramento das árvores. Assim podemos com planejamento e responsabilidade tornar as nossas cidades cada vez mais agradáveis para vivermos.

Olha estas velhas árvores, — mais belas,
Do que as árvores mais moças, mais amigas,
Tanto mais belas quanto mais antigas,
Vencedoras da idade e das procelas . . .
O homem, a fera e o inseto à sombra delas
Vivem livres de fomes e fadigas;
E em seus galhos abrigam-se as cantigas
E alegria das aves tagarelas . . .
Não choremos jamais a mocidade!
Envelheçamos rindo! envelheçamos
Como as árvores fortes envelhecem,
Na glória da alegria e da bondade
Agasalhando os pássaros nos ramos,
Dando sombra e consolo aos que padecem!
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email