domingo, 17
 de 
outubro
 de 
2021

Por Raphael Rolim de Moura

Por mais de 2 anos, governos, sociedade civil, iniciativa privada e instituições de pesquisa foram coordenados pela Organização das Nações Unidas (ONU) em um trabalho participativo que resultou na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Desenvolvida através da plataforma “My World”, a Agenda 2030 foi adotada em setembro de 2015 por 193 Estados Membros da ONU.

Este plano de ação possui quatro sustentações: Declaração, Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), Acompanhamento e Avaliação da Agenda 2030 e Implementação. Desta maneira os 17 objetivos encontram condições de implementação. São eles: Erradicação da Pobreza, Fome Zero, Saúde e Bem Estar, Educação de Qualidade, Igualdade de Gênero, Água Potável e Saneamento, Energia Limpa e Acessível, Trabalho Decente e Crescimento Econômico, Indústria, Inovação e Infraestrutura, Redução das Desigualdades, Cidades e Comunidades Sustentáveis, Consumo e Produção Responsáveis, Ação Contra a Mudança Global do Clima, Vida na Água, Vida Terrestre, Paz, Justiça e Instituições Eficazes, Parcerias e Meios de Implementação.

Talvez uma das questões mais difíceis sobre cada um destes objetivos seja o acompanhamento e a avaliação de como cada um deles está sendo tratado pela sociedade. Para nos auxiliar neste processo existe um Relatório de Indicadores (https://odsbrasil.gov.br/relatorio/sintese) que aponta a performance brasileira neste processo.



Traremos nos próximos artigos de cada uma das 17 ODS. Assim veremos na prática como podemos contribuir para esta importante iniciativa global que aborda temas importantes: pessoas, planeta, prosperidade, paz e parcerias. Pensar globalmente e agir localmente será sempre um lema importante para a nossa orientação.

O artigo acima fez uso de informações do site www.odsbrasil.gov.br.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email