quarta-feira, 1
 de 
dezembro
 de 
2021

A Agenda 2030 – Objetivo 14 – Vida na Água

No Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 14 a Organização das Nações Unidas (ONU) nos traz a discussão sobre os recursos marinhos. A água cobre cerca de 70% da superfície da Terra. Cerca de 98% da água da Terra não é própria para o consumo (água salgada) e dos 2% restantes, a maior parte está no gelo polar e nas suas geleiras. Temos ainda no subsolo (aquíferos e poços) e cerca de 0,036% em lagos e rios. A Organização Mundial da Saúde (OMS) relata que mais de 80% dos casos de doenças no mundo resultam da ingestão de água contaminada, com mais de 25 tipos diferentes de enfermidades. Cuidar da água é cuidar da saúde humana de maneira direta.

Nesta ODS a ONU defende que até 2025, trabalhemos para prevenir e reduzir significativamente a poluição marinha de todos os tipos; até 2020, façamos uma gestão de forma sustentável e protejamos os ecossistemas marinhos e costeiros para evitar impactos adversos significativos; trabalhemos para minimizar e enfrentar os impactos da acidificação dos oceanos, inclusive por meio do reforço da cooperação científica em todos os níveis; até 2020, efetivamente regulemos a coleta, e acabemos com a sobrepesca, ilegal, não reportada e não regulamentada (INN) e as práticas de pesca destrutivas, e implementando planos de gestão com base científica, para restaurarmos populações de peixes no menor tempo possível; até 2020, conservemos pelo menos 10% das zonas costeiras e marinhas com base em informação científica; até 2020, proibir certas formas de subsídios à pesca, que contribuem para a sobrecapacidade e a sobrepesca, eliminando os subsídios que contribuam para a pesca INN, e abster-se de introduzir novos subsídios como estes, reconhecendo que o tratamento especial e diferenciado adequado e eficaz para os países em desenvolvimento e os países menos desenvolvidos deve ser parte integrante da negociação sobre subsídios à pesca da Organização Mundial de Comércio (OMC); até 2030, aumentar os benefícios econômicos para os Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento (SIDS) e os países menos desenvolvidos, a partir do uso sustentável dos recursos marinhos, inclusive por meio de uma gestão sustentável da pesca, aquicultura e turismo. O caminho é longo mas necessário para o bem estar dos habitantes do nosso planeta.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email