segunda-feira, 18
 de 
outubro
 de 
2021

235 imóveis na Lapa são fiscalizados pelo Instituto do Patrimônio Histórico

Casas antigas na Lapa/Foto:ArquivoA manutenção de uma cidade histórica requer uma legislação específica, cuidados, dedicação e investimentos. Na região, a cidade da Lapa é visitada anualmente por milhares de pessoas. Fundado em 1797, o município teve um papel de destaque durante a Revolução Federalista e foi palco do chamado “Cerco da Lapa” (veja o box). Seu centro histórico reúne casarões, praças e repartições que são referência na história do país, como o Theatro São João, com mais de 130 anos.

No total, são 235 imóveis tombados na cidade e que estão em permanente fiscalização junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan. Sendo assim, toda reforma, ampliação ou qualquer iniciativa semelhante nestes locais necessitam de uma consulta para posterior análise e aprovação.

Segundo o historiador do Iphan, Juliano Martins Doberstein, a partir do momento que o proprietário de um imóvel cadastrado no instituto tenha interesse em promover um determinado serviço na estrutura física do local é obrigatório que a informação seja registrada. “É uma forma de preservar o espaço respeitando suas características histórica e arquitetônica”, acrescenta.

A Lapa foi a primeira cidade tombada pelo Iphan no Sul do Estado, em 1998, posteriormente o mesmo aconteceu com Paranaguá e Antonina. Maioria das construções tombadas pelo patrimônio histórico são utilizadas como residências, outras como comércio, repartições públicas ou espaço de visitação turística.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email