segunda-feira, 8
 de 
agosto
 de 
2022

Voto na urna e legislação na mão

A partir desse fim de semana a campanha eleitoral deve ganhar um ritmo maior em todo o país. Passado o feriado prolongado de 7 de setembro e restando a partir daí pouco mais de 20 dias para a votação, a disputa por voto e o volume de atividades ficarão mais intensos. Nas últimas semanas, no entanto, observamos que além da preocupação pelo voto na urna há um olhar especial sobre o cumprimento da legislação eleitoral. Tem muitos que acreditam ter mais chance de ganhar a eleição cumprindo com a regra ao invés de obter maior preferência entre o eleitorado.
Alguns fatores contribuem para o que esses candidatos – orientados pelos seus departamentos jurídicos – estão se referindo. No que trata da prestação de contas e informação sobre gastos – tema de matéria dessa edição – observa-se que embora não tenham declarados gastos, muitos candidatos já estão com material e campanha na rua. Como? Boa pergunta! Acreditem ou não, há campanhas que ainda estariam atuando com o tradicional “vale gasolina”, mesmo em época de celulares que gravam e filmam de tudo.
Por essas e outras circunstâncias que muitos apostam na velha máxima do “ganha mas não leva”. Nos últimos anos, a Justiça Eleitoral tem sido mais enérgica e para essa eleição, em especial, há o sentimento de estabelecer um divisor de águas. Não podemos negar que a campanha já parece mais limpa e produtiva. Talvez seja necessário rever o período, pois 45 dias parece pouco para expor proposta, debater e promover eventos políticos.
De toda forma, houve avanços. E o mais importante é perceber que maioria dos candidatos está consciente de que um deslize pode custar muito caro.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email