quarta-feira, 12
 de 
junho
 de 
2024

Viveiros do IAT produziram mais de meio milhão de mudas de araucária desde 2019

Foram produzidas 586.931 mudas pelos viveiros florestais do Instituto Água e Terra. Foto: Érica Fernanda
Foram produzidas 586.931 mudas pelos viveiros florestais do Instituto Água e Terra. Foto: Érica Fernanda
A produção e distribuição de araucárias integra o Programa Paraná Mais Verde, implementado no Estado há pouco mais de quatro anos. Desde então foram produzidas 586.931 mudas pelos viveiros florestais do Instituto Água e Terra.

 

O Governo do Estado, por meio dos laboratórios de sementes e viveiros florestais do Instituto Água e Terra (IAT), produziu mais de meio milhão de mudas de Araucaria angustifolia desde 2019. Um alento para a árvore-símbolo do Paraná no Dia Nacional da Araucária, celebrado neste sábado (24) – o famoso Pinheiro do Paraná, tão comum à paisagem regional, é uma das tantas espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção.

A produção e distribuição de araucárias integra o Programa Paraná Mais Verde, política ambiental implementada pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior há pouco mais de quatro anos. Desde então, de acordo com levantamento do IAT, foram 586.931 mudas produzidas em 15 dos 19 viveiros do Estado, e 355.653 pés distribuídos. A previsão é que outras 145 mil mudas sejam entregues para a população nos próximos meses.

“Nós contamos com o apoio de centenas de produtores que nos procuram e, ao receber as mudas, passam a participar no processo de recuperação ambiental do Paraná. Nesse caso algo ainda mais impactante por estarmos falando de um dos símbolos do nosso Estado”, afirmou o diretor-presidente do IAT, Everton Souza.

“Essas mudas vão para todo o Estado, muitas delas com a função de recuperar matas ciliares. Hoje o Paraná tem aproximadamente 30% de cobertura com florestas nativas e nós estamos trabalhamos para aumentar ainda mais esse número, de preferência com muitos pés de pinheiro”, acrescentou.

O IAT desenvolveu uma logística especial para disseminar a espécie. Primeiro é feita a coleta das sementes, o famoso pinhão, em árvores matrizes. Sementes que são encaminhadas para os laboratórios do instituto, localizados em São José dos Pinhais (Região Metropolitana de Curitiba) e Engenheiro Beltrão (Centro-Oeste), para análise de pureza, teor de umidade e medição de peso.

Somente depois de passar pelo setor de qualidade é que são enviadas para testes de germinação em estufas controladas, ficando armazenadas em câmaras frias com temperatura variando entre 3ºC e 5ºC.

Após esse período de maturação, as mudas são cultivadas nos viveiros florestais até ficarem prontas para a distribuição. “Dentro do Programa Paraná Mais Verde existe uma linha de ação de incentivo às espécies ameaçadas de extinção e, dentre elas, o destaque é justamente a araucária, uma das mais procuradas pela população”, destacou o gerente de Restauração Ambiental do IAT, Mauro Scharnik.

Os viveiros estaduais produzem mais de 100 espécies nativas diferentes, 25 delas são consideradas ameaçadas de extinção. A capacidade de produção é de até 5 milhões de mudas/ano.

COMO SOLICITAR – A Divisão de Produção de Mudas Nativas do IAT é responsável pela coleta, armazenamento e distribuição de sementes, bem como produção das mudas e sua disponibilização à população. São 19 viveiros à disposição dos paranaenses, em São José dos Pinhais, Engenheiro Beltrão, Salgado Filho, Cascavel, Cornélio Procópio, Guarapuava, Fernandes Pinheiro, Ivaiporã, Jacarezinho, Morretes, Ibiporã, Mandaguari, Pato Branco, Tibagi, Pitanga, Paranavaí, Toledo, Umuarama e Paulo Frontin.

Os interessados podem fazer a solicitação de mudas por meios digitais, como aplicativo Paraná Mais Verde, disponível na Play Store (modelos Android).

Ao fazer a solicitação para até 100 mudas/ano, o requerimento é aprovado automaticamente e elas já poderão ser retiradas no viveiro selecionado. Basta ligar para o viveiro e agendar.

Para mais de 100 mudas, o requerimento seguirá para análise e aprovação de um técnico do IAT. O interessado poderá acompanhar a solicitação e será informado quando for aprovada ou reprovada. Após a liberação, poderá retirar as mudas no viveiro selecionado.

O Sistema de Gestão Ambiental (SGA) é outro caminho. É uma solução informatizada que, dentre demais facilidades, permite aos usuários a requisição de mudas nativas e consultas relacionadas ao requerimento feito pela internet através do endereço www.sga.pr.gov.br.

Após a solicitação, o pedido passará por uma análise do IAT. Caso seja aprovado, será encaminhado um e-mail ao requerente, com as informações do local de retirada das mudas e a documentação necessária.

PARANÁ MAIS VERDE – O programa foi criado em 2019 e tem como objetivo despertar a consciência ambiental e aliar o desenvolvimento ambiental, econômico e social, por meio da produção e plantio de árvores nativas nas áreas urbanas e rurais. As mudas são plantadas em áreas que precisam ser recuperadas ou melhor arborizadas, bem como incentivar a população a cultivar árvores, seja em área urbana ou rural, para colaborar no equilíbrio do clima.

Além do Programa Paraná Mais Verde, o IAT protege a araucária conforme a Portaria nº 443/2014, do Ministério do Meio Ambiente, que resguarda as espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção contra a coleta, corte, transporte, armazenamento, manejo, beneficiamento e comercialização, dentre outras.

DIA NACIONAL – O Dia Nacional da Araucária foi criado em 2005 por meio de decreto presidencial. A iniciativa busca ajudar na conservação da árvore ameaça de extinção, tão importante para a biodiversidade brasileira, especialmente, para o bioma da Mata atlântica e para a fitofisionomia de Floresta Ombrófila Mista.

 

Fonte: Agência Estadual de Notícias

 



Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email