segunda-feira, 8
 de 
agosto
 de 
2022

Sanepar participa do Dia Municipal de Prevenção à Mordedura Canina

Leituristas participade mobilização do Dia Municipal de Prevenção à Mordedura Canina. Foto: Divulgação/SaneparLeituristas da Sanepar, em conjunto com funcionários da Copel, dos Correios e da Cavo, participam nesta segunda-feira (22), na Boca Maldita (Rua das Flores), em Curitiba, da mobilização pelo Dia Municipal de Prevenção à Mordedura Canina. Os trabalhadores querem que a sociedade se sensibilize para o problema, ajudando a evitar os ataques de cães. A ação começou às 12 horas e prossegue durante toda a tarde.
Somente neste ano, a Sanepar registrou 62 casos de mordidas de cachorros em Curitiba e região, que provocaram o afastamento de 27 empregados para tratamento de saúde. Mesmo realizando treinamentos frequentes para os leituristas, nem sempre é possível evitar um ataque de cão. “O que vemos é um número cada vez maior de cachorros soltos nas ruas”, denuncia o gerente da área de Faturamento da Sanepar, Denilson Belão.
CASO GRAVE – A falta de cuidado dos donos de cachorros provocou um dos casos mais graves da Sanepar, registrado no início deste ano. Um cão da raça pitbull escapou de uma residência em Colombo e atacou a leiturista Grace Machado. Ela levou mordidas nos dois braços e na cabeça. Ficou vários dias imobilizada e ainda não voltou para o trabalho de rua. “A casa não tinha tranca no portão. O cachorro fugiu e me atacou. Pensei que ia morrer. Fui salva pelos vizinhos, que ouviram meus gritos”, conta.
Grace trabalhou durante dez anos nos Correios e está desde 2014 na Sanepar. Não foi a primeira vez que ela foi atacada por um cachorro, mas das outras vezes as lesões não foram tão graves. “Hoje já consigo contar o que passei sem me abalar, até pouco tempo não conseguia falar sobre o ataque”, diz.
Em razão deste e de outros casos, a Sanepar pede o apoio da população para que prendam seus cachorros, evitando acidentes não apenas com os funcionários da Sanepar, mas também com todos os trabalhadores que estão fazendo serviço nas ruas.
RECOMENDAÇÕES – As recomendações são para que as pessoas coloquem trancas nos portões, façam muros altos, instalem grades que não permitam que a cabeça do cachorro passe, coloquem também hidrômetros e caixas de correio em locais de fácil acesso.
Outra recomendação importante é para que cada cliente fique atento à data da próxima leitura. Essa informação consta na fatura entregue pela Sanepar todo o mês. No dia previsto para o serviço, a orientação é a de que o morador prenda o cachorro para evitar acidentes. “São soluções que demonstram respeito pelo trabalhador e pela população”, disse Belão.
DANOS – Na Sanepar, cada acidente com cão representa um gasto médio de R$ 300,00. O valor, obviamente, varia conforme a gravidade do acidente. O problema não ocorre somente em Curitiba e região. Em todas as localidades atendidas pela Sanepar são registrados acidentes com cães.
Desde 2013, foram registrados 439 ataques de cachorros. “Só não temos como medir o trauma causado por um ataque, muitas vezes irreparável”, lembrou o gerente.

Fonte: AEN

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email