terça-feira, 27
 de 
fevereiro
 de 
2024

Região supera marca de 500 produtores orgânicos certificados

Produção de orgânicos ganha destaque nas propriedades rurais da região. Foto: Arquivo/O Regional
Produção de orgânicos ganha destaque nas propriedades rurais da região. Foto: Arquivo/O Regional
Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) sinaliza para 515 trabalhadores com certificação. O destaque é a cidade de Tijucas do Sul, a capital paranaense do orgânico, com mais de 250 produtores do ramo

Uma atividades que vem demonstrando protagonismo nas propriedades rurais é a agricultura orgânica. Os alimentos orgânicos são aqueles que, pela legislação brasileira, obtidos por meio de um sistema orgânicos de produção ou originário de processo extrativista sustentável e não prejudicial ao ecossistema, pela não utilização de agrotóxicos ou outros produtos químicos.

Dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) indicam que no Paraná a estimativa é de uma produção de 50 mil toneladas de orgânicos por ano, número que coloca o Estado como líder nacional no setor.

Ainda conforme o levantamento do Mapa, por meio do Cadastro Nacional de Produtores Orgânico, somente na região suleste paranaense, são cerca de 510 trabalhadores com certificação de alimento orgânico.

Um dos destaques é a cidade de Tijucas do Sul, a capital paranaense do orgânico, onde são 250 produtores certificados, como é o caso da família Carbonar Setim, que há 19 anos está no ramo com a Orgânicos dos Sul, como conta Flavio Henrique, um dos herdeiros desta atividade na família. “Meu pai, Irineu, foi um dos pioneiros e apostadores dos produtos orgânicos. Ele entrou no ramo após problemas de saúde e, desde então, buscamos fortalecer a produção orgânica na cidade. Hoje, atuamos com dez culturas, sendo o brócolis, a alface americana e couve-flor as três principais”, relata.

Flavio Henrique fala sobre produção de orgânicos, atividade da família há 19 anos. Foto: Arquivo/O Regional
Flavio Henrique fala sobre produção de orgânicos, atividade da família há 19 anos. Foto: Arquivo/O Regional

De acordo com Setim, atualmente a atividade é responsável por empregar cerca de 30 pessoas, com aproximadamente 55 hectares de terra. “Plantamos todas as semanas para colhermos todas as semanas. Por ano, a produção de alface chega a cerca de 400 mil unidades, de brócolis é de 280 mil e a de couve-flor soma 100 mil unidades. Estamos contentes com os resultados alcançados neste período”, conta o produtor, enfatizando a popularização do mercado orgânico. “Para estar neste ramo é preciso ter uma preparação em toda a cadeia, desde planejamento de plantio, das sementes, passando pela terra, o cultivar até chegar o mercado. Nós fomos aprendendo com os erros e acertos para chegarmos até aqui”, afirma.

O secretário de Agricultura de Tijucas do Sul, Antônio Arinaldo Rocha, o Nardão, e o técnico agrícola Fabiano Melo, destacam algumas das ações do poder público para fomentar este cenário. “Buscamos aumentar, gradativamente, o número de produtores cadastrados na merenda escolar, auxiliamos com o transporte de insumos utilizados na produção, obtenção de recursos para a destinação de equipamentos para a cooperativa dos orgânicos, técnicos para atender os produtores e demais atividades, além de ações que a gestão já vem planejando para o futuro”, explicam.

Para o secretário de Agricultura, Antônio Arinaldo Rocha, o Nardão, e o técnico agrícola Fabiano Melo, o número evidencia uma atenção da população para o consumo saudável de alimentos. “As pessoas estão cuidando mais da saúde e investido em alimentos orgânicos. Nossos produtores são os grandes responsáveis pelo título da capital do orgânico de Tijucas do Sul”, enaltecem.

 



Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email