domingo, 7
 de 
agosto
 de 
2022

Reajustada tarifa metropolitana em Mandirituba e em Quitandinha

Utilizar o transporte metropolitano ficou mais caro para os passageiros/Foto: Arquivo / O RegionalMoradores de duas cidades da região que utilizam o transporte coletivo para se dirigir à capital estão pagando mais caro pela passagem. Foi implantado um sistema de tarifa diferenciada no transporte coletivo de Mandirituba e Quitandinha. O aumento entrou em vigor no dia 27 de novembro.
Os usuários dos ônibus metropolitanos destas duas cidades não absorveram bem o reajuste.
Os quitandinhenses Vanda dos Anjos e José Ribas utilizam a linha para ir ao médico. “Vamos até Fazenda Rio Grande, mas pagamos como se fôssemos até Curitiba”, relatam. Até semana passada, para ir e vir, gastavam menos de R$ 18,00, agora gastam R$ 22,80. “Um pouco de reajuste é aceitável, por conta do preço do combustível, mas não deveria ser tanto assim. Porém, para nós ainda é mais vantajoso ir de ônibus do que ir de carro”, completa.
O taxista Odair José dos Santos, que tem ponto em frente à rodoviária de Quitandinha, conta que os usuários dos ônibus têm reclamado e muitos querem parar de trabalhar em Curitiba. “Gastarão R$ 22,00 por dia, já que do Pinheirinho ao centro da capital pagam outra passagem”, salienta Odair.
Esta medida, segundo a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) é uma adequação dos custos operacionais em função do aumento dos insumos, principalmente do óleo diesel, e da longa distância percorrida. Com o novo sistema, as tarifas que custavam R$ 3,40 passaram para R$ 4,40 e as que custavam R$ 4,30 passaram para R$ 5,70. De acordo com a coordenação, a adoção da tarifa diferenciada é necessária para garantir a justiça tarifária, pois ao calcular o valor se considera a distância percorrida, o número médio de passageiros por dia e o equilíbrio econômico-financeiro.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email