segunda-feira, 26
 de 
fevereiro
 de 
2024

Ratinho Junior reforça pedido de gestão guiada pela eficiência

Governador Ratinho Junior esteve reunido com o secretariado. Foto: Jonathan Campos/AEN
Governador Ratinho Junior esteve reunido com o secretariado. Foto: Jonathan Campos/AEN
Governador Ratinho Junior esteve reunido com secretários para alinhar metas da gestão. Uma das principais orientações do gestor é um trabalho firme na redução dos gastos para ampliar a eficiência da máquina pública nos seus diversos programas, além de investimentos em municípios com baixo IDH

O governador Carlos Massa Ratinho Junior reuniu, na última segunda-feira, a equipe de secretários para alinhar as metas para a gestão do governo do Paraná. No encontro, foram debatidos objetivos para o mandato.

Uma das principais orientações pautadas pelo gestor está é um trabalho firme na redução dos gastos para ampliar a eficiência da máquina pública nos seus diversos programas.

Na ocasião, o governador entaleceu o pedido. “A redução dos custos da máquina é uma tecla que vamos bater muito. Os gastos têm que ser reduzidos e revisados diariamente em todas as áreas para potencializar os investimentos, aquilo que fica de caráter permanente para toda a sociedade”, afirmou Ratinho Junior destacando ainda a desburocratização dos órgãos estaduais. “Também queremos diminuir a burocracia das secretarias e órgãos estaduais, para isso deve ser feito um trabalho em sinergia. Já fizemos isso nos últimos quatro anos, mas com a pandemia de Covid-19 esse olhar interno ficou muitas vezes em segundo plano. Cada pasta tem que fazer a sua lição de casa para deixar a máquina mais ágil e mais rápida”, disse.

Outra indicação é reduzir gastos com frota, ampliando a participação do TáxiGov no deslocamento dos servidores, além da realização de certames para a locação de veículos, com custos menores de manutenção. O governador ainda pontuou que o Estado está firmando um convênio com o Tribunal de Justiça do Paraná para que imóveis que não estão sendo utilizados pelo Judiciário abriguem núcleos regionais das secretarias, já que muitos deles ainda gastam com aluguéis.

Conforme Ratinho Junior, uma das prioridades do mandato será atuar nas regiões paranaenses com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), com um trabalho integrado para melhorar a qualidade de vida da população desses locais.  “O nosso foco é criar políticas públicas para melhorar o IDH de regiões mais pobres, para que todo o Paraná vá bem, para que a nossa economia cresça de maneira organizada. Nós podemos ser exemplo para o Brasil e temos que nos guiar para melhorar a vida das pessoas”, salientou.

Avaliação – O governo fará uma reavaliação de todos os programas e políticas públicas em execução para aplicar os recursos públicos com mais eficiência, por meio de um trabalho alinhado entre todas as pastas, com coordenação da Secretaria do Estado do Planejamento. Ações que já cumpriram o seu objetivo, por exemplo, poderão ser descontinuadas para que o investimento vá para outra área prioritária e, em contrapartida, programas que vão bem deverão ser potencializados e repaginados.

Segundo o secretário estadual do Planejamento, Guto Silva, o novo modelo de Plano Plurianual (PPA) vai propiciar uma leitura mais ampla das entregas que as secretarias fazem para a sociedade. O novo PPA será apresentado em setembro na ALEP e terá vigência de 2024 a 2027. “Olhar e acompanhar os gastos de forma muito criteriosa é uma dinâmica permanente. Vamos fazer a análise dos indicadores ponta a ponta, para apresentar no PPA um plano de economia calcado na eficiência da máquina pública”, afirmou.

Com o cenário de queda na arrecadação, principalmente após a redução das alíquotas dos impostos que incidem sobre combustíveis e energia elétrica, a redução dos gastos também é considerada necessária.

O secretário estadual da Fazenda, Renê Garcia, explicou que o Estado deixou de arrecadar R$ 3,2 bilhões no ano passado e que, além disso, uma recessão global causada pelo aumento da taxa de juros nos mercados americano e europeu reduz a expectativa de crescimento do PIB nacional, o que também impacta na arrecadação. “Teremos que fazer um ajuste na qualidade do gasto e na revisão de programas. Como tivemos um superávit expressivo ao longo dos últimos anos, temos dinheiro em caixa para manter os gastos e investimentos do Estado, mas é necessário ter esse ajuste pensando a médio e longo prazo”, detalhou.

Mulheres – Ações e políticas voltadas para as mulheres também estiveram em destaque na reunião, abordada pela recém-criada Secretaria de Estado da Mulher e Igualdade Racial, por meio da secretária Leandre Dal Ponte. “Há uma série de programas e políticas públicas sendo desenvolvidos por diferentes secretarias. O Estado tem feito muitas coisas pelas mulheres paranaenses e para a inclusão e igualdade racial”, afirmou.

Leandre falou ainda da integração de programas já em execução por outras secretarias. “Estamos identificando todas essas ações para consolidar uma política de Estado para esses públicos. Nosso objetivo é fortalecer e trabalhar de forma integrada”, finalizou.



Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email