segunda-feira, 22
 de 
julho
 de 
2024

Pinhão já pode ser vendido no Paraná

Vilmar é um dos comerciantes que já iniciaram a venda do pinhão na região. Foto: Arquivo/O RegionalA colheita, o transporte, a comercialização e o consumo do pinhão já estão liberados em todo o Paraná, desde o último dia 1º de abril, conforme prevê a lei estadual nº 15.457/2011. O objetivo é garantir a reprodução da araucária, árvore ameaçada de extinção, que ocorre durante o primeiro semestre do ano. Além disso, a escassez de frutas nativas e outras fontes de alimento oriundas das florestas torna o pinhão um recurso essencial para a fauna.
De acordo com o soldado Diego Kuster, biólogo da Polícia Ambiental, a polícia vem trabalhando durante o ano todo a questão da conscientização para tentar evitar que a prática desta infração aconteça e que o meio ambiente seja prejudicado. “A fiscalização deve ocorrer, mas o que precisamos é que as pessoas se conscientizem que isto é uma afronta ao meio ambiente, especialmente com relação a uma vegetação ameaçada. Esta conscientização tem sido uma tarefa bem difícil. Mas já notamos que gradualmente a comunidade vem respeitando as normas de proteção da araucária, incluindo a sua semente, o pinhão”, explicou.
Nesta semana, nossa redação encontrou em vários trechos das rodovias estaduais e federais, pontos de venda de pinhão. Em média, o quilo, está custando R$ 5,00, e com grande volume de vendas nesta primeira semana. “Muitos não sabem do período de venda e se surpreendem quando veem o pinhão já exposto. A venda é maior ainda para os caminhoneiros que vêm de outras regiões onde é baixa esta produção”, comentou Vilmar do Carmo da Cruz, dono de uma pequena banca no trecho entre Lapa e Contenda.
Multa – A coleta, o transporte, o depósito, a compra e a venda desta semente antes da data permitida, caracterizam em infração administrativa e multa mínima de R$ 500,00.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email