sábado, 18
 de 
setembro
 de 
2021

Garra e superação: conheça a história da Izabelle, mãe do João Miguel

foto-izabelleA pienense Izabelle Medeiros teve uma gravidez planejada, todos os exames sempre foram ótimos, e seu parto rápido e tranquilo. A mãe do João Miguel conta que até o primeiro aninho da criança, era necessário levá-lo três vezes ao médico, mas nada relacionado à doença.

Aos onze meses, João Miguel foi diagnosticado com Hepatoblastoma, um tipo de câncer raro de fígado. Mais frequente em crianças com menos de três anos e que pode provocar a produção de gonadotrofina coriônica humana, induzindo uma puberdade precoce. O câncer está associado a diversas outras más-formações. Nos adultos esta multiplicação anormal das células é ainda mais rara.

Os tumores hepáticos representaram 1,1% de todos os tumores de 0 a 19 anos e são mais comuns em homens. Nas últimas décadas, o manejo do hepatoblastoma avançou muito devido ao aprimoramento dos métodos de diagnóstico por imagem, ao uso de esquemas quimioterápicos eficazes, aos melhores métodos cirúrgicos e à possibilidade de transplante de fígado.

“Quando descobrimos que o João estava com câncer foi um baque”, desabafou a mãe. “Quando houve o diagnóstico, apesar de que a gente já imaginava que tinha algo errado com a saúde dele, e questionamos sobre o tamanho da barriguinha dele nas consultas mensais”, conta Izabelle. A moça afirma que o médico que acompanhava João dizia que estava tudo bem.

Sobre a mudança na rotina dela e da criança, afirma que acompanhou João no tratamento médico, mas que por conta de sua nova gestação, a partir das trinta semanas, seu marido começou a acompanhar o menino, a fim de evitar um parto prematuro.

“Sempre que posso, acompanho ele nas consultas com meu esposo”, conta Izabelle.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email