segunda-feira, 29
 de 
novembro
 de 
2021

Feriado de Finados deve movimentar o comércio da região suleste paranaense

Comércio da região se prepara para vendas no Dia de Finados, que é lembrado na próxima terça-feira. Foto: Arquivo/O Regional
A expectativa de vendas de flores, segundo os comerciantes, é boa, mesmo com alto reajuste nos valores das mercadorias

Os comerciantes que trabalham com artigos como flores, velas e outros itens relacionados ao Dia de Finados estão na expectativa do aumento nas vendas.

A empresária Janaína Grosskopf, da Aquarela Papelaria, está com uma previsão otimista das vendas. “A gente está esperando uma boa venda”, disse. Segundo Janaína, o comércio teve um reajuste significativo, que deve refletir nos custos dos consumidores.

“Esse ano a gente sentiu um reajuste grande nas mercadorias, ano passado o item que a gente vendeu, é o mesmo valor que a gente está pagando, isto significa que os consumidores irão sentir o reflexo no preço final”, afirma a empresária.

Segundo a dona da papelaria, a procura por preços mais acessíveis foi uma das principais atribuições do comércio. “Comparado com o ano passado, a gente teve um reajuste bem maior”, comenta. “Essa é uma data que as pessoas vão ao cemitério, indo às vezes, somente nesta data, ou seja, uma vez por ano”, aborda.

Referente aos produtos mais procurados, predomina a busca por um produto mais acessível, mais barato. “A gente tem procura de produtos de todos os tipos, dos mais baratos aos mais caros. Mas os itens mais baratos a gente sempre precisa ter. Inclusive foi item que a gente mais teve dificuldade de encontrar, tudo teve um reajuste muito alto”, afirma.

Outro produto procurado pelos consumidores são os vasos com arranjos prontos. “A gente não cobra nada para fazer, cobramos só o que vai no arranjo, no caso o vaso, ou o que a pessoa escolher”, explica Janaína.

Segundo ela, é necessário ter mercadorias para todos os públicos, desde os produtos mais sofisticados ao mais acessível. A empreendedora explica o preparo do comércio para a data. “No dia 1º a loja fica aberta ao público e no dia 2, teremos uma pessoa que trabalhará em frente ao cemitério”, afirma Janaína.

O pienense Aldo Zappe pretende ir ao cemitério no dia 1º de novembro. “A gente reserva o Dia de Todos os Santos para preparar o cemitério, pois no dia seguinte iremos visitar os túmulos”, explica. Aldo defende que essa é uma data muito significativa para a população.

 



Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email