sexta-feira, 20
 de 
maio
 de 
2022

Duas cidades do suleste paranaense podem ter mudança de zona eleitoral

Fórum de Fazenda Rio Grande poderá passar a atender o município de Piên se a mudança vigorar. Foto: Arquivo/O RegionalAs mudanças nas zonas eleitorais do Brasil podem atingir diretamente dois municípios do suleste paranaense. Piên e Contenda devem mudar de zona, passando a ser atendidos por outros cartórios eleitorais.

O processo que pode levar a estas mudanças teve início com o projeto de rezoneamento eleitoral para o país. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o processo tem como objetivos aprimorar o trabalho e economizar gastos com as zonas eleitorais. Algumas zonas deverão ser extintas.

Nos últimos meses, o assunto foi então tema de audiências públicas por todo o Paraná e o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR) fez um estudo e elaborou um relatório sobre a situação no estado. Na última semana, uma resolução com a conclusão do estudo foi entregue ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes.

Uma das grandes preocupações é quanto à extinção de zonas. Essa proposta de reorganização das zonas eleitorais do TRE-PR extingue 16 no estado, mas nenhuma delas é do suleste paranaense.

Porém, de acordo com a proposta, duas cidades da região devem mudar de zona. Piên deixa a de Rio Negro e passa para a de Fazenda Rio Grande, enquanto que Contenda deixa a da Lapa e passa para a zona de Araucária.

Segundo a assessoria do TRE, tal mudança atende pedidos antigos dos moradores. No caso de Piên, a alteração seria por proximidade e acesso mais adequado, enquanto que para Contenda a justificativa seria menor distância para Araucária e o pedágio que os moradores pagam para ir até Lapa. Ainda conforme o TRE, os locais de votação continuam os mesmos e, se a medida se concretizar, a troca de título eleitoral será realizada no dia da eleição de outubro de 2018, quando o eleitor receberá o necessário novo documento.

Na Lapa, a chefe de cartório Mônica Simão lembra que a situação de Contenda já havia sido estudada em 2009 com parecer positivo pela mudança. Já na audiência realizada no mês passado, muitas autoridades se manifestaram contrárias, mas a Justiça Eleitoral, na proposta, considerou em facilitar o acesso do eleitor e de forma menos onerosa para ele. “Pensando no eleitor é uma mudança positiva”, avalia.

A chefe de cartório de Fazenda Rio Grande, Roberta de Paula, explica que as mudanças são ainda uma proposta, sem confirmação. É o TSE que vai agora analisar estas possíveis alterações.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email