terça-feira, 22
 de 
junho
 de 
2021

Corpo de Bombeiros detalha os cuidados sobre como agir em acidentes

Acidentes de trânsito estão cada vez mais frequentes de serem encontrados. Foto: Divulgação/PRFOs acidentes de trânsito são ocorrências registradas com frequência em toda a região, tanto no perímetro urbano, quanto na área rural. Diante desta adversidade, muitas pessoas não têm o mínimo de conhecimento sobre o que fazer para ajudar a vítima e quem sabe até mesmo salvar a vida dela. Neste sentido, este semanário vem desenvolvendo neste mês uma série de matérias informativas voltadas ao Movimento Maio Amarelo, este dedicado à prevenção de acidentes.

Segundo o Subtenente Paes, comandante do Corpo de Bombeiros de Piên, ao se deparar com um acidente de trânsito a primeira medida a ser tomada é a sinalização do local para evitar um segundo acidente. “Em muitas ocorrências os veículos ficam parados sobre a pista e sujeitos a uma nova colisão, ou ainda a vítima fica desacordada sobre a via podendo ser atropelada. Por isso, é fundamental a utilização de cones ou triângulo refletivos para sinalizar o incidente, sendo substituído por galhos de árvores na falta destes itens. Estes sinais devem ser posicionados a uma distância considerável para que os demais motoristas possam fazer a frenagem de forma segura”, orienta Paes.

Subtenente Paes repassa orientações necessárias para saber como proceder ao se deparar com acidentes. Foto: Arquivo/O Regional

Em seguida, o recomendado é que as equipes de socorro sejam acionadas através do 192 do Samu ou do 193 dos bombeiros. “É fundamental que o informante passe detalhes do acidente, como as características dos veículos envolvidos, número de vítimas, se há presos nas ferragens, se estão conscientes ou não, além de um local de referência. Esta triagem, quando bem feita, garante que sejam enviados a ocorrência os recursos necessários para o atendimento”, salienta Paes. Posteriormente, se a pessoa não estiver sujeita a outros riscos, como descargas elétricas por exemplo, deve ser realizado desligamento da chave do veículo, abrindo também o capô do veículo e desconectando um dos polos da bateria. “Isso fará com que a parte elétrica seja desligada, evitando um curto-circuito e posterior incêndio”, explica.

Já quanto à vítima, o ideal é não mexer para evitar lesões mais graves, no entanto, quando a pessoa está inconsciente e deitada de costas, é necessário que ela seja colocada de forma lateral para evitar que haja obstrução das vias aéreas. “Seja por um sangramento ou mesmo através da própria língua é possível que o ferido fique sem respirar e venha a óbito. Junto aos casos de hemorragia, esta é uma das principais causas de morte em acidentes”, destaca Paes. No caso de incidentes com motos deve-se abrir a viseira e apoiar a cabeça da vítima com uma leve extensão do pescoço para melhorar a respiração e, se houver sangramento oral, deve-se então lateralizar a vítima, sem remover o capacete da cabeça.

Os bombeiros também alertam para exames médicos após o registro de acidentes, tendo em vista que muitos casos graves se desenvolvem em dias seguintes ao sinistro. “Muitas pessoas fazem a opção de não querer socorro médico no ato da ocorrência, mas em seguida começam a sentir dores de cabeça, febre, vômito, tontura e sonolência, estes são sinais mais claros que algo está errado e é necessário urgentemente uma avaliação médica. Em muitos casos, a gravidade da lesão interna evoluiu até mesmo para óbito”, alerta Paes. “Recomendamos a prevenção e o excesso de cuidado neste sentido, afinal o impacto interno dos órgãos pode desencadear uma série de problemas”, concluiu.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email