terça-feira, 16
 de 
julho
 de 
2024

Começa a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite

Campanha de vacinação está em andamento no Paraná. Foto: Venilton Küchler/Arquivo/AEN
Campanha de vacinação está em andamento no Paraná. Foto: Venilton Küchler/Arquivo/AEN
Campanha segue até o dia 14 de junho, com estimativa de imunizar 717.915 crianças paranaenses. Dia D será em 8 de junho em todo o Estado

Teve início na última segunda-feira (27), em todo o Paraná, a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite para crianças menores de cinco anos. A ação deve seguir até 14 de junho, sendo 8 de junho o Dia D de mobilização.

A estimativa é imunizar 717.915 crianças nesta faixa etária, com meta de atingir 95% de cobertura da vacina durante o ano. As crianças menores de um ano deverão ser vacinadas conforme a situação vacinal atual para o esquema primário aos dois, quatro e seis meses de idade (três doses da Vacina Inativada Poliomielite — VIP), enquanto para o púbico de um a quatro anos, deve ser utilizada a Vacina Oral Poliomielite (VOP).

O secretário de Saúde do Estado, Beto Preto, reforçou que a principal forma de prevenção contra essa doença é a vacina. “A imunização será feita pelos municípios paranaenses e as salas de vacina estarão à disposição para fazer esse grande movimento durante a campanha. A vacina contra a poliomielite é um avanço que permitiu que conseguíssemos fazer com que essa doença não existisse mais e por isso contamos com a participação da população para continuarmos protegidos”, disse.

Conhecida também como pólio ou paralisia infantil, a poliomielite é uma doença grave caracterizada por um quadro de paralisia flácida causada pelo poliovírus selvagem (PVS) tipo 1, 2 ou 3, que em geral acomete os membros inferiores, de forma assimétrica e irreversível. No Paraná, o último registro da doença foi em 1986, em São José dos Pinhais, e no Brasil, a poliomielite está erradicada no País desde 1994.

A transmissão acontece diretamente de uma pessoa para outra através de gotas muito pequenas que saem da nossa boca e nariz quando falamos, tossimos ou espirramos. A transmissão também pode acontecer quando a pessoa tem contato direto com fezes contaminadas ou bebe água ou come alimentos contaminados.

Conforme o Ministério da Saúde, desde 2016 as coberturas vacinais têm apresentado uma queda progressiva em todo o País. Dados do LocalizaSUS, do Ministério da Saúde, indicam que no ano passado, o Brasil fechou em 84,95% de cobertura da VIP, sendo que o Paraná atingiu 90,18%. Já com relação a VOP, em 2023 o Brasil atingiu 76,99% e o Paraná 83,38%.



Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email