sexta-feira, 25
 de 
junho
 de 
2021

Colheita de uva atrai visitantes

Danieli e Osmar iniciaram o cultivo há oito anos e estão se destacando na atividade. Foto: Arquivo/O RegionalOs trabalhos da colheita de uva em muitas propriedades rurais do suleste paranaense estão se encerrando nesta semana. E uma das características que têm marcado este período nas últimas safras é o grande número de pessoas que visitam os parreirais. São aqueles que gostam de comprar uma boa uva que eles mesmos podem colher diretamente da parreira, além de conhecer a produção.

Em Piên, são vários os produtores que nesta época do ano abrem suas propriedades para visitação do público e que recebem centenas de pessoas semanalmente no mês de janeiro e assim os parreirais se tornam um atrativo. Osmar Knopp é um deles, mas, no seu caso, este foi o primeiro ano em que convidou abertamente e abriu o seu parreiral ao público em geral.

Segundo ele, o movimento vem sendo grande, principalmente nos finais de semana, e os visitantes são de diversas cidades. Sua esposa, Danieli, ressalta que as pessoas sentem prazer em colher e sentir o aroma no local, além de tirar muitas fotos. “Abrimos o parreiral para isso, para encantar as pessoas. E para nós também é um prazer recebê-las”, enfatiza. O plantio ocorreu há oito anos e a uva cultivada é a bordô, que serve tanto para vinho e suco, quanto para o consumo natural. A colheita da atual safra deve totalizar cerca de 20 toneladas. Eles não escondem o desejo de futuramente terem também uma cantina. Knopp conta ainda que existe em Piên a intenção de se formar uma cooperativa entre os produtores locais.

Parreirais da região têm uma beleza que encanta, aliando o aroma e o gosto doce da fruta. Foto: Arquivo/O Regional

O produtor Laercio Ribas da Cruz, de Quitandinha, já concluiu a colheita da safra deste ano. Ele conta que os trabalhos foram encerrados no último sábado e foram colhidas aproximadamente 12 toneladas de uva. Seu parreiral também foi plantado há oito anos.

Cruz também abre a sua propriedade para visitação do público nesta época de colheita, tornando-a uma grande atração. “Sempre recebemos muitos visitantes. Eles vêm para conhecer o parreiral, tirar fotos e comprar uvas”, conclui o produtor quitandinhense.

Segundo números do Valor Bruto da Produção (VPB), em 2018, último ano com dados disponíveis, a produção de uva na região suleste somou, entre as variedades de mesa e vinífera, um total de R$ 3,2 milhões. Nos últimos anos, mais produtores da região iniciaram o cultivo. Em 2019, o governo estadual lançou o programa Revitis, que visa o incentivo à produção, reorganização da comercialização, desenvolvimento do turismo e apoio à agroindústria.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email