sábado, 29
 de 
janeiro
 de 
2022

Câmara Municipal decide nesta sexta-feira o futuro político de Fazenda Rio Grande

Dr. Nassib e Marco Marcondes tomaram posse em janeiro deste ano. Foto / Reprodução

A Câmara Municipal de Vereadores de Fazenda Rio Grande promove nesta sexta-feira (3) uma sessão extraordinária para votar o relatório da Comissão Processante de Inquérito para decidir sobre a cassação do prefeito Nassib Kassem Hammad (PSL). 

Em 06 de julho, a Câmara Municipal abriu a organização para apurar quatro denúncias de supostas irregularidades na prefeitura apresentadas ao pelo morador e eleitor Carlos Zanchi.

De acordo com a apuração feita nos últimos 60 dias, publicada no site do órgão, uma das denúncias trata da nomeação de um funcionário que não teria requisitos para ocupar o cargo em que foi nomeado, de acordo com regras da da Lei Municipal Complementar 47/2011. Outro fator apurado pelos vereadores, foi um documento que atesta a experiência profissional do servidor nomeado, que de acordo com as investigações, teria sido falsificado. Informações levantadas pelos vereadores dão conta que o servidor nomeado foi beneficiado fora do Plano Nacional de Imunização e teria então furado a fila. 

Outra apuração feita pela Câmara de Vereadores trata da autopromoção da primeira-dama e também vereadora na cidade, Nani Hammad. A mesma ocupou o cargo de secretária da Assistência Social. Nani teria divulgado a vacinação da secretaria de forma exagerada, com fins de autopromoção. 

Outra denúncia trata-se da criação de um departamento por meio de decreto. A zeladoria municipal deveria ter sido criada através de um projeto de lei.

A casa legislativa apura também uma denúncia, que trata da nomeação de um familiar do prefeito, Nassib Kassem Hammad, por afinidade. Logo após a denúncia feita pelo eleitor, o familiar foi demitido, dando a entender que as denúncias feitas por Carlos Zanchi teriam procedência.

O prefeito eleito e diplomado, Dr. Nassib nega todas as acusações e afirma que é vítima do que chamou de perseguição política. Segundo ele, após a exoneração de ex-secretários, criou-se essas questões para o tentar derrubar. 

O relatório final com acusações e depoimentos foi apresentado na última quarta-feira (01) e tem mais de cento e catorze páginas. Em caso de cassação do prefeito, o vice-prefeito Marco Marcondes, do PROS, pode ser empossado no mesmo dia. 

A votação do relatório ocorrerá às 9h desta sexta-feira (3), e exige, dois terços, ou nove vereadores, com votos favoráveis, para que seja aprovado. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email