sexta-feira, 22
 de 
outubro
 de 
2021

Aos 70 anos, Hospital do Trabalhador projeta ampliação de serviços em saúde

Hospital do Trabalhador. Foto: Venilton Küchker/SESAO Hospital do Trabalhador, unidade hospitalar do Governo do Paraná vinculada à Secretaria de Estado da Saúde, completou 70 anos de sua fundação, nesta quarta-feira (18), com uma festa que reuniu a comunidade, servidores e diretores de várias gestões. Ao comemorar sua história, o hospital projeta a ampliação dos serviços à população com a incorporação da maior obra estrutural desde a inauguração, em 1947.

“O HT é um dos melhores hospitais do país em urgência e emergência e tem gerado importantes resultados à população paranaense em sua área de atuação. Tem uma história de sucesso e um futuro garantido na saúde pública paranaense”, disse o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto.

Ele destacou que o Governo do Estado investe R$ 7,5 milhões na construção do Anexo da Mulher, cuja obra, de mais de 4 mil metros quadrados, será concluída ainda em 2017. “É a maior expansão física do hospital e vai oferecer assistência qualificada a gestantes e bebês, além de possibilitar a ampliação de serviços de urgência e emergência no hospital”, afirmou o secretário.

O novo prédio permitirá a ampliação da oferta de serviços, chegando a uma estrutura de 302 leitos. A unidade vai abrigar serviços de maternidade, ginecologia, terapia intensiva adulto, pediátrica e neonatal, enfermarias, leitos de internação e outros setores voltados à saúde da mulher.

Nesta quarta-feira, a Secretaria estadual da Saúde entregou uma série de equipamentos para reforçar a retaguarda de atuação do HT. São 116 itens, como monitores multiparamétricos, cardioversores, ventiladores pulmonares, camas elétricas, entre outros, que totalizam R$ 2,1 milhões em investimentos.

“Temos mantido uma rotina de investimento nesta unidade que se reinventa a cada dia. É importante comemorar o passado e potencializar suas ações com o olhar para o futuro. Parabenizo a todos que constroem a história de sucesso do HT”, disse o diretor-geral da Secretaria, Sezifredo Paz.

O Hospital do Trabalhador enfrentou momentos críticos de saúde pública, como o atendimento a pacientes de tuberculose, em seu início, no enfrentamento à epidemia de HIV/AIDS nos anos 80/90 e se especializou em atendimento ao trauma, uma das maiores demandas de urgência e emergência da capital.

Atualmente, mantém o maior pronto-socorro público do Paraná e é considerado um dos melhores do país. Referência para a população de Curitiba e Região Metropolitana, realiza em torno de 230 mil atendimentos por ano. Com 222 leitos, sendo 40 de UTI, a estrutura tem se consolidado como unidade de destaque na assistência ao trauma, como acidentes de trânsito.

Em 2014, o hospital deu suporte, inclusive, à demanda de atendimentos da Copa do Mundo de Futebol, em que Curitiba foi cidade-sede. O fato do HT contar com um heliponto e manter uma equipe altamente especializada foi decisivo para a escolha do Ministério da Saúde.

De acordo com o diretor-geral do HT, Geci Labres de Souza Júnior, o segredo do sucesso do hospital está no quadro de funcionários, que hoje conta com mais de 1,6 mil profissionais. “Temos uma equipe extremamente comprometida com a qualidade do atendimento à população e com a evolução contínua deste hospital. Pessoas que dedicaram a vida em prol desta estrutura, que hoje é reconhecida nacionalmente pela excelência dos serviços prestados”, ressaltou.

Prova do comprometimento dos funcionários foi o abraço simbólico realizado nesta quarta-feira, no prédio do hospital. Mais de 700 pessoas, entre colaboradores, voluntários, pacientes, ex-pacientes e representantes da comunidade participaram da homenagem, que destaca a importância da estrutura para a população curitibana.

De 1998 até agora, o HT fez mais de 3,1 milhões de atendimentos. Além da assistência hospitalar, a unidades também faz consultas e exames ambulatoriais, além de partos de gestantes de alto risco. O HT é ainda um hospital de ensino, sendo campo de estágio e residência nas áreas de medicina, enfermagem, fisioterapia, terapia ocupacional, farmácia, entre outras.

Fonte: AEN

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email