domingo, 5
 de 
dezembro
 de 
2021

A Agenda 2030 – Objetivo 1 – Erradicação da Pobreza

Por Raphael Rolim de Moura

Os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) trazidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) são dezessete e o primeiro trata da “Erradicação da Pobreza”. Temos uma ligação direta entre a pobreza e a degradação ambiental. Estudiosos trabalham para estabelecer o debate que tem como dúvida principal se a pobreza causa a degradação ambiental ou o contrário é o que realmente ocorre.

Neste momento vivemos o momento da pandemia da Covid-19 com forte tendência a deslocar mundialmente a pobreza extrema entre 88 milhões e 115 milhões de pessoas. Este número pode chegar a 150 milhões de pessoas em 2021, dependendo do cenário econômico. A pobreza extrema (renda inferior a US$1,90/dia) pode ter afetado entre 9,1% e 9,4% da população mundial em 2020, segundo o relatório bienal Pobreza e Prosperidade Compartilhada realizado pelo Banco Munidial.

No Brasil, nos últimos 5 anos, tivemos um aumento em cerca de 3 milhões do número de pessoas em situação de fome, tendo hoje 10,3 milhões nesta situação, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Sabemos também que 39,9 milhões de brasileiros vivem em famílias com renda per capita de até R$ 89 por mês, segundo dados do Ministério da Cidadania, caracterizando a extrema pobreza.

Podemos afirmar diante destes dados que temos um mundo muito desigual. Poucos têm muitos recursos enquanto a grande maioria da população não tem qualidade de vida devido aos pouquíssimos recursos ao qual tem acesso. Em 2018 a organização não-governamental britânica Oxfam divulgou um estudo no qual cinco bilionários brasileiros concentram patrimônio equivalente à renda da metade mais pobre da população do país. Esta informação ratifica o desequilíbrio.

Defendo a opinião de que a degradação ambiental produz a pobreza. Segundo o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) os indicadores de qualidade de vida nas regiões desmatadas muitas vezes são piores do que onde a floresta está preservada. A floresta nos dá alimento, água e saúde. Nas cidades, a falta de saneamento gera doenças e afeta a produtividade das pessoas. Agir em prol da preservação e/ou conservação da natureza pode garantir um futuro com qualidade de vida para todos.



Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email