Site icon Jornal O Regional

Moradores de Rio Negro protestam e cobram isenção da tarifa do pedágio

Reivindicando a isenção da tarifa do pedágio, moradores protestaram na praça de cobrança. Foto: DivulgaçãoA instalação da praça de pedágio na BR 116 no trecho do município de Rio Negro separou três comunidades do centro da cidade. Ou seja, os moradores de Cunhupã, Retiro Bonito e Roseira precisam passar pelo pedágio para chegar à área central e demais bairros do município. Um acordo estabelecido no passado permite que cada família dessas três comunidades tenha um veículo cadastrado e esse faça apenas um pagamento diário da tarifa, ficando liberado em outras eventuais passagens. No entanto, esse benefício é questionado pelos moradores como distante da real necessidade.

No último domingo, cerca de 50 pessoas se reuniram e protestaram na praça de pedágio, inclusive impedindo o pagamento de tarifa dos veículos que passavam pelo local. “Fizemos isso para chamar atenção sobre nossas reivindicações”, contou o morador Valdecir Schmidt. Segundo os populares, hoje muitas famílias têm mais de um veículo. Além disso, o preço da tarifa vem subindo constantemente e, mesmo que seja pagamento diário único por veículo, isso causa prejuízo no orçamento familiar. A grande queixa, porém, é que todos são obrigados a pagar para trafegar dentro do próprio município.

A reivindicação das famílias que residem em Cunhupã, Retiro Bonito e Roseira é que todos sejam isentados da cobrança e tenham número de veículos liberados para passar pela praça de pedágio. A comprovação, neste caso, pode ser feita pelas faturas de energia ou registro profissional em empresa com sede no município.

Após ser consultada pela reportagem de O Regional, a empresa concessionária da rodovia enviou uma nota explicativa bastante técnica e que não faz referência à solicitação dos moradores rio-negrenses.

Sair da versão mobile